- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Álbum
Selton Mello
Menino de cinema

De 1990 até hoje, Selton Mello apareceu em 19 filmes. Uma média de um por ano desde a estreia em Uma Escola Atrapalhada, dos Trapalhões. Atualmente, pode ser visto em três filmes em cartaz: A Mulher Invisível, A Erva do Rato e Jean Charles. Mas Selton quase foi cantor. Criança, apresentava-se em programas de auditório com seu violão. Em 1981, aos 9 anos, virou ator. Estreou em Dona Santa, da Band. Três anos depois, foi para a Globo e fez Corpo a Corpo. Em 1986, participou de Sinhá Moça - cuja segunda versão, de 2006, foi protagonizada pelo irmão, Danton Mello. Foi vilão, mocinho, criança de novo mesmo que com 24 anos, quando fez Emanuel, o menino-anjo de A Indomada.

Foram dez novelas até 1999, com Força de Um Desejo, o último folhetim de que participou. Desde então, faz apenas seriados e minisséries. Cinema virou o seu palco mais constante e o trabalho vai desde blockbusters, como Meu Nome Não É Johnny (2008), até filmes independentes, em que trabalhou sem receber cachê, como O Cheiro do Ralo (2006), e inclui uma direção, a de Feliz Natal. Há outros três filmes em pós-produção em que o público o verá novamente: Federal, Reflexões de um Liquidificador e Lope, com estreias previstas para 2010.

Fotos ARQUIVO AG.ISTOÉ, TV GLOBO, DIVULGAÇÃO, ARQUIVO PESSOAL e AG.NEWS

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS