- Anuncie
- Assine

 
 
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Conversão ao pop folk
CD de inéditas e DVD com gravação de 1971 mostram que, musicalmente, não há diferença entre Yusuf e o antigo Cat Stevens

O cantor se converteu ao islamismo em 1977

EM DEZEMBRO DE 1977, após quase ter morrido afogado em praia da Califórnia, Cat Stevens se converteu ao islamismo, passou a se chamar Yusuf Islam e abandonou no auge uma carreira que já contabilizava milhões de discos vendidos.

A volta ao mundo pop aconteceu só em 2006, com a gravação do álbum An Other Cup, cujo título remetia ao nome da obra-prima da discografia do artista, Tea for the Tillerman, de 1970.

Agora, os lançamentos do CD Roadsinger - segundo trabalho de inéditas de Yusuf (agora sem o Islam no nome artístico) nessa volta ao pop - e do DVD Tea for the Tillerman Live (que registra show intimista feito pelo cantor em estúdio, em 1971) mostram que, musicalmente, não há diferença entre Yusuf e Cat Stevens.

Roadsinger enfileira um punhado de boas canções gravadas no tom pop folk que caracteriza desde sempre a obra do artista. A novidade está na ênfase nos valores positivos propagados por Yusuf nas letras de canções como "World O'Darkness" e "Be your Must".

O viés sensível e humanitário, de certa forma, já estava presente no cancioneiro rebobinado por Stevens no DVD, que traz clássicos como "Wild World" e "Father and Son".
Mauro Ferreira

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS