- Anuncie
- Assine

 
 
 
Livros // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


ROMANCE
Quase Santo
Uma família comum ganha cores vivas no retrato de Anne Tyler

Fotos DIVULGAÇÃO
A autora Anne Tyler valoriza o cotidiano dos personagens

NÃO HÁ NADA de especial nos Bedloe, uma típica família de classe média formada por um casal e três filhos, habitantes da Baltimore nos anos 60. Para a escritora Anne Tyler, contudo, há sempre algo de inusitado no trivial. Em Quase Santo (Record, 416 págs., R$ 39), ela lança o olhar aguçado sobre gente comum e desvenda seus segredos, ambições, sonhos e disfunções. E o faz ao quebrar a normalidade com a morte de um dos filhos, seguida pelo suicídio da viúva. A culpa de Ian, o irmão que acredita ter causado a tragédia que deixou três crianças órfãs, é o motor da narrativa que percorre duas décadas de ajustes e emendas.

Vencedora do Pulitzer por Breathing Lessons e autora de O Turista Acidental, que virou filme estrelado por William Hurt e Geena Davis, Anne também viu esse drama familiar adaptado para a televisão, em 1998. O fundamentalismo religioso e a busca pela redenção são abordados com concisão e leveza em uma trama de múltiplas perspectivas, que valoriza a idiossincrasia e celebra as coisas simples da vida.
Suzana Uchôa Itiberê

 

 

 

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS