- Anuncie
- Assine

 
 
 
Gastronomia // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Harmonização
União prazerosa e inusitada
Antes considerada arriscada, a combinação de vinho e chocolate é possível a partir de blends que potencializam o sabor de ambos

MALBEC: As notas de frutas vermelhas e o leve tostado estão presentes tanto no vinho quanto no chocolate
PINOT NOIR: As notas frutadas deste vinho mais delicado são ressaltadas no encontro com o doce
SHIRAZ: A especiaria deste vinho casa com as mesmas notas encontradas no chocolate
PORTO: Chocolate e vinho fortificado, no estilo do Porto, é uma das mais clássicas harmonizações
Fernando Levy

 

Quem disse que vinho e chocolate não combinam? Geralmente, o açúcar e a gordura presente no chocolate se sobrepõem ao sabor dos vinhos, mas existem alguns segredos que podem tornar essa união prazerosa.

Em evento no Hotel Panamericano de Buenos Aires, experts da Grand Cru e da Estinne Chocolates mostraram que é possível fugir à regra de que a bebida precisa ser mais doce do que a sobremesa, combinando os sabores entre chocolates de origem e varietais mais consumidos na Argentina, como os tintos secos elaborados com as uvas Malbec, Merlot, Syrah, Carmenère e Pinot Noir e os vinhos de sobremesa, feitos no mesmo estilo do português vinho do Porto.

Convidado para conduzir a harmonização, Fernando Levy, da Estinne, explica que a produção dos sabores foi criada a partir das características dos doces e dos vinhos para potencializar o gosto de ambos. "O Malbec, que geralmente é um pouco mais frutado, combina com um chocolate de base meio amarga com alguma porcentagem de branco.

Ele não perde o amargor, mas fica um pouco mais doce no final", diz. Apresentados em pequenas gotas, os chocolates vêm em caixinhas com os nomes dos vinhos. Levy diz que a maioria deles tem a base elaborada com maiores percentuais de cacau sólido na massa. "É a origem dele que determina o sabor final do chocolate. Hoje, os melhores exemplares vêm da Costa do Marfim, Madagascar, Equador, Peru e Gana", conta.

Para os iniciantes, ele explica que a melhor opção pode ser um vinho fortificado como o Pulenta Tardio. "Por ser mais doce, ele aceita um chocolate mais encorpado e potente". Com benefícios à saúde, como a elevação dos níveis de serotonina no cérebro, não faltam bons motivos para consumir vinho e chocolate. Juntos, então, melhor ainda. Bianca Zaramella

 

 

 

 

 

 

Dica Gourmet
Danielle Winits

"Prêt-a-Manger (r. Bela Cintra, 2375, São Paulo, tel: 11-3085-8544). É pequenininho e tem comida caseira, que eu adoro. A cada dia servem uma coisa diferente e as saladas de lá são maravilhosas"

Danielle Winits é atriz

 

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS