- Anuncie
- Assine

 
 
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Ping-Pong
"Ri e chorei no estúdio"
Já recuperada do luto do ano passado pelas mortes quase simultâneas de seus pais, Dorival Caymmi e Stella Maris, Nana Caymmi volta à cena com seu primeiro disco de inéditas em oito anos, Sem Poupar Coração.

Nana gravou com os irmãos e incluiu música da sobrinha no CD

NANA CAYMMI

É verdade que pensou em parar de cantar?
Exagero. Não ia cantar com dias ou meses depois da morte de meus pais. Falei com meus irmãos (Dori e Danilo), numa conversa de intimidade, que naquele momento eu não queria cantar. Eles acharam que eu não ia cantar nunca mais.

Como se sentiu no estúdio?
Foi tranquilo porque adoro entrar em estúdio. E entrei cercada pelos meus irmãos. Rimos juntos, choramos juntos.

Como foi incluir no repertório "Diamante Rubi", música de sua sobrinha, Alice Caymmi?
Sabia da música dela porque não há festa lá em casa que não acabe em samba. Ela fez essa música para o namoradinho e eu achei que o tema cabia bem no romantismo deste disco.

Por que regravou "Não se Esqueça de Mim" de novo com Erasmo Carlos, exatamente como em 1998?
Porque a Glória Perez me pediu. Ela trabalha ouvindo música, gosta de música antiga e queria essa na trilha da sua novela (Caminho das Índias) porque tinha a ver com a história do casal Maya e Bahuan.

Por que o disco tem um tom muito abolerado?
Gosto de bolero. Vivi minha infância ao som de Trio Los Panchos. Isso é um defeito meu e assumo. Quando eu me casei com um venezuelano, papai dizia que, na verdade, eu tinha casado com o bolero. Eu abolero inclusive o samba-canção, porque eles são ritmos gêmeos. Mauro Ferreira

Sonoras

Todo meu Canto,
Toni Garrido

Em seu primeiro disco solo, o ex-vocalista do Cidade Negra adere ao som black dos bailes de funk. "Me Libertei", inusitado cover do repertório engajado de Toni Tornado nos anos 70, exala orgulho negro enquanto "Fim de Semana Good Time" ecoa batidas de dance e disco music. Mas Garrido não renega seu passado: "Todos os Amigos Perto de mim" é reggae pop que poderia figurar em qualquer disco do Cidade Negra.

Yes, Pet Shop Boys
O duo britânico segue a receita de seu pop dance em faixas como "All over the World" e "Beautiful People", destaques deste décimo álbum de estúdio. Mas há sutis ingredientes novos que apimentam o som dos Boys: o mais especial deles é a guitarra de Johnny Marr em três faixas. O ex-Smiths brilha especialmente em "Did You See me Coming?". Já "Bulding a Wall" é petardo infalível na pista. (M.F.)

 

Ouvi e gostei

Emanuela de Paula

"Amo MPB. Sou do Nordeste e tudo que vem de Caetano e Gil eu adoro"
Emanuela de Paula é top model

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS