- Anuncie
- Assine

 
 
 
Livros // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Cinema
A face abusiva de Hitchcock
Hitchcock dirigindo Janet Leigh em Psicose

Não é novidade que Alfred Hitchcock dizia que atores deviam ser tratados como gado. Mas Fascinado pela Beleza: Alfred Hitchcock e suas Atrizes (Larousse, 336 págs., R$ 59,90) revela que ele ia muito além da hostilidade com suas estrelas. O biógrafo Donald Spoto relata o comportamento do cineasta nos bastidores. Eis alguns trechos:

KIM NOVAK, UM CORPO QUE CAI (1958) "A maioria dos atores são crianças burras", ele disse mais de uma vez. (...) "Por exemplo, Kim Novak. Na segunda parte de Um Corpo que Cai, quando ela está morena e não se parece tanto com Kim Novak, eu até que consegui que ela atuasse."

JANET LEIGH, PSICOSE (1960) Hitchcock chamou Janet (...) e a instruiu a ser ousada: ela devia acariciar John Gavin (...) como se o casal estivesse envolvido em preliminares sexuais. (...) Hitch disse a ela que daria uma orientação semelhante a Gavin. Um pouco depois, murmurou para um rapaz da equipe: "Mr. Gavin tem uma ereção." Depois, Janet descobriu que ele não havia avisado Gavin.

TIPPI HEDREN, OS PÁSSAROS (1963) "Hitch veio até mim antes de uma cena e sussurrou 'Me toca'. (...) Era nojento. (...) Hitch me chamou em seu escritório. Ele olhou para mim e disse simplesmente, como se fosse a coisa mais normal do mundo, que a partir de então ele esperava que eu me tornasse sexualmente disponível e acessível para ele." Suzana Uchôa Itiberê



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS