- Anuncie
- Assine

 
 
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Brasil Afora
Paralamas do Sucesso voltam a fazer o som alegre e solar do início da carreira

Foto: DIVULGAÇÃO
João Barone, Herbert Vianna e Bi Ribeiro gravaram o CD em Salvador

O ACIDENTE DE ULTRALEVE que deixou Herbert Vianna viúvo e tetraplégico, em fevereiro de 2001, obviamente alterou a rota fonográfica dos Paralamas do Sucesso. A melancolia que brotou no álbum seguinte, Longo Caminho (2002), era adequada ao momento do grupo. Seguiu-se em 2005 um álbum pesado e cinzento, Hoje. Custou, mas o tempo voltou a clarear na discografia da banda. O CD Brasil Afora tem o som alegre e solar que caracterizava o som do trio nos anos 80.

A produção de Liminha ilumina repertório que flerta com o reggae em músicas como "Meu Sonho" e "Sem Mais Adeus". A segunda, conta com a voz e as percussões tribais de Carlinhos Brown, em cujo estúdio, Ilha dos Sapos, os Paralamas gravaram o CD. Brasil Afora é disco pop e praieiro, mas não descarta o rock. A faixa-título e "Tão Bela" são mais pesadas. Já "Mormaço" se impõe pelo caráter inusitado. Trata-se de flerte com o baião, feito em tributo a João Pessoa (PB), cidade-natal de Herbert. Convidado da faixa, Zé Ramalho ajudar a dar o tom adequado ao tema. Em clima mais delicado, Herbert verte para o português poética canção do roqueiro argentino Fito Paez, "El Amor Después del Amor", rebatizada simplesmente "El Amor". No todo, Brasil Afora é CD caloroso e otimista que pode devolver aos Paralamas o sucesso perdido por conta de discos e momentos difíceis. Mauro Ferreira

SONORAS

A-Lex, Sepultura

Em sua primeira gravação sem Iggor Cavalera, que deixou o grupo em 2006, o Sepultura se debruçou sobre o livro Laranja Mecânica para esboçar álbum conceitual que soa irregular entre temas instrumentais, faixas com o peso típico do thrash metal da banda ("Strike") e incursão pela música erudita em "Ludwig Van", faixa que alude à fixação do protagonista do livro, Alex, por Beethoven.

 

 

Terra, Mariza

Apontada como sucessora de Amália Rodrigues, Mariza não renega as tradições do fado, perpetuadas neste seu quarto CD em faixas como "Já me Deixou" e "Rosa Branca", mas procura dar tom moderno e globalizado ao gênero português. Tanto que recrutou a sensação da moderna música flamenca, Concha Buika, para dueto em "Pequenas Verdades". Ivan Lins toca seu piano jazzy em "As Guitarras".

 

 

Contra Todos, Dead Fish

Com sonoridade crua, típica de sua discografia, o grupo capixaba se mostra fiel ao seu hardcore neste sexto álbum de inéditas, mas a faixa-título, "Contra Todos", flerta com o universo pop. Curiosamente, integrantes originais estão debandando do grupo. O baterista Nô desligou-se após a gravação do disco, feito já sem o guitarrista Hóspede. (M.F.)

 

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS