- Anuncie
- Assine

 
 
 
Livros // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







NÃO-FICÇÃO
1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer
Preciosidades, clássicos e algumas bobagens formam a eclética lista

Toy Story está entre as animações clássicas citadas no livro

APESAR DO TÍTULO UM TANTO FOLCLÓRICO, o livro 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer (Sextante, 960 págs, R$ 59,90) é uma interessante e eclética lista de filmes importantes da história do cinema, resultado do cruzamento de opiniões de 67 acadêmicos e críticos de cinema. Com tanta gente, é normal que o gosto médio prevaleça, o que explica a presença de diversões como Grease e Top Gun, ao lado de preciosidades como a bela Trilogia de Apu, do indiano Satyajit Ray, ou Cidade das Tristezas, de Hou Hsiao-Hsien. Entre animações clássicas como Branca de Neve e Toy Story, é uma surpresa encontrar o impressionante e adulto O Túmulo dos Vaga-Lumes, de Isao Takahara.

A maior ressalva é que os filmes estão em ordem cronológica, quando a ordem alfabética facilitaria mais. Além disso, como toda lista, ela é contestável. Centenas de obras-primas ficaram de fora e dezenas de bobagens foram incluídas (Borat, por exemplo). Mas os acertos superam em muito os erros e há muita coisa boa para descobrir. Infelizmente para os cinéfilos, apenas cerca de metade dos filmes está disponível nas boas locadoras. Marcelo Lyra

Algumas produções imperdíveis

A ÚLTIMA GARGALHADA (1924) Auge do cinema mudo, este filme de Friedrick Murnau mostra como sugerir sons e falas apenas por imagens. Ele não tem nenhuma cartela com diálogos.

M, O VAMPIRO DE DUSSELDORF (1931) Clássico policial de Fritz Lang na Alemanha, além da qualidade do roteiro e da fotografia, foi quem mostrou como usar o som a serviço da dramaturgia.

KING KONG (1933) O original filme em preto-e-branco, mesmo com seus efeitos que hoje parecem toscos, é muito superior aos remakes, por causa da boa ambientação e fotografia noir.

A GRANDE ILUSÃO (1937) O diretor francês Jean Renoir discute o sentido da honra e da guerra, num tempo em que os militares ainda combatiam frente a frente, não por mísseis e aviões.

OS CORRUPTOS (1953) O maior dos chamados "film noir", gênero policial que consagrou Fritz Lang nos EUA e por ele foi consagrado, influenciando gerações de cineastas.

RASTROS DE ÓDIO (1956) Obra-prima de John Ford, este faroeste psicológico mostra um homem que revê seus conceitos de vida em uma longa procura por uma menina raptada por índios.

DEUS E O DIABO NA TERRA DO SOL (1964) Este clássico de Glauber Rocha entrou na lista pelos editores internacionais. Esta versão em português acrescentou mais alguns nacionais.

A BELA DA TARDE (1967) O surrealista Luiz Buñuel é um dos diretores que mais tem filmes no livro, incluindo este que traz uma impressionante atuação de Catherine Deneuve.

Fotos: DIVULGAÇÃO
A Bela da Tarde também está na lista

APOCALIPSE NOW (1979) Talvez o melhor filme de guerra de todos os tempos, este filme de Francis Ford Coppola mostra toda a loucura que envolve uma guerra.

O PIANISTA (2002) O melhor filme de Roman Polanski é um dos mais tocantes registros do sofrimento provocado pelos nazistas, nessa história de luta pela sobrevivência.

DIVULGAÇÃO/ TV GLOBO

 

Li e gostei Ricardo Pereira

"Indico um título português que chama-se Mafaldisses - Crónicas Sobre Rodas, escrito por uma menina, Mafalda Ribeiro, que vê e sente o mundo através de olhos muito especiais. São crônicas muito interessantes. Espero que chegue em breve ao Brasil." (Papiro, 156 págs, 13 euros, importado)

Ricardo Pereira é ator e está em Negócio da China

 

 


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS