- Anuncie
- Assine

 
 
 
Cinema // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







COMÉDIA
Sim, Senhor
O astro Jim Carrey combate o pessimismo e passa mensagem alto-astral

Fotos: DIVULGAÇÃO
Carl Allen (Carrey) adota a terapia do "sim"

COM A PREMISSA DE QUE "uma palavra pode mudar tudo", o novo trabalho do astro Jim Carrey é estrategicamente lançado no início da era Barack Obama, a voz da afirmação "Yes, We Can!". De nome Sim, Senhor, esta comédia parte de um livro autobiográfico do jornalista inglês Danny Wallace, que passou seis meses respondendo "sim" a tudo e registrando os resultados.

O mesmo acontece com o personagem Carl Allen (Carrey), que se negava a viver e, como responsável pela liberação de empréstimos bancários, se negava a concretizar os pequenos sonhos de gente comum. Até adotar a terapia do "sim". Esta premissa também vem ao encontro de um espectador preocupado com a crise global. De início, o filme dirigido por Peyton Reed (Abaixo o Amor) extrai de Carrey apenas o mesmo humor físico e careteiro que o consagrou em início de carreira. Mas, com o surgimento do amor (na pele de Zooey Deschanel), e com a cadeia positiva de consequências, o filme revela estar preocupado acima de tudo com sua mensagem alto-astral - e com as várias e claras citações que faz à carreira do próprio Carrey. (Classificação Indicativa: a conferir) Christian Petermann


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS