- Anuncie
- Assine

 
 
 
Gastronomia // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Champanhe
Prazer de fim de ano
Herdeiro da tradicional vinícola francesa Taittinger esteve no Brasil para falar da filosofia e da nova safra de seus delicados espumantes.

Fotos: DIVULGAÇÃO title=
Clovis Taittinger: “Somos inspirados como os artistas”

Champanhe é prazer, é amizade, é otimismo. Não fazemos vinhos com estatísticas, porque temos um sonho e somos

 title=

inspirados como os artistas”, filosofa Clovis Taittinger. Herdeiro e diretor de marketing da vinícola que leva seu sobrenome, ele esteve no Brasil há poucas semanas para apresentar a nova safra dos champanhes da tradicional maison de sua família e falar sobre o conceito da marca do espumante, um dos cinco melhores do mundo e conhecido por sua delicadeza e elegância.

 title=

O francês lembra que quando seu bisavô – “um homem da boa vida, do amor e da amizade” – entrou para o negócio, logo após a Primeira Guerra Mundial, as mulheres estavam em ascensão na sociedade, e resolveram fazer vinhos mais leves, suaves, voltados para o paladar delas. “Taittinger foi a primeira vinícola a colocar bastante uva chardonnay em seus champanhes”, lembra Clovis. O festejado Comte de Champanhe Brut Blanc de Blanc 1998 (R$ 880), distribuído no País pela Expand, é feito exclusivamente com esse tipo de uva. “É um vinho poderoso, mas elegante e feminino, pode ser bebido agora ou em 25 anos”, comenta Clovis.

O principal champanhe da casa, porém, que totaliza 75% da produção da maison é o Taittinger Brut Reserve (R$ 228), feito com 40% de chardonnay e 60% de pinot noir e meunier. “Não usamos muito carvalho, não gostamos de sabores artificiais”, explica Clovis. À boca, este champanhe se mostra agradável e fresco, com toques de mel, frutas cítricas e baunilha. Uma boa pedida para as festas de fim de ano.

Marina Monzillo.

Dica Gourmet Vanessa Lóes

 title=

“Adoro o Maní (r. Joaquim Antunes, 210, tel. 11-3085-4148) e o Capim Santo (al. Ministro Rocha Azevedo, 471, tel. 11-3068-8486), em São Paulo. Gosto dos pratos mais exóticos e elaborados e acho que o ambiente conta muito. Adoro lugar que tem áreas abertas como esses dois restaurantes” Vanessa Lóes é atriz.

 


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS