- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Música
''É amor de amigo''
O grupo o Rappa fala à Gente sobre o novo cd, 7 vezes; e o vocalista Marcelo Falcão revela que tentou, mas não rolou namoro com a cantora Maria Rita

TEXTO THAÍS BOTELHO

DANIELA CONTI/AG. O DIA
"Sei que ela está bem e fico bem com isso, tenho carinho por ela, apesar de não termos nos falado mais", diz Falcão sobre a ex, Deborah Secco

Os integrantes da banda carioca O Rappa acreditam que não precisam mostrar os rostos nos videoclipes, que a música deve sempre falar mais que os músicos. Sem querer, porém, o vocalista Marcelo Falcão ganhou os flashes quando passou a namorar Deborah Secco, em 2004. Foi o suficiente para virar alvo constante dos papparazi. Recentemente, o cantor também foi flagrado em clima de romance com a cantora Maria Rita, apontada como pivô do término da relação com a atriz global.

Durante o lançamento do novo CD do grupo, intitulado 7 Vezes, Falcão e os colegas Marcelo Lobato (bateria), Alexandre Menezes ("Xandão", guitarra) e Lauro Farias (baixo) falaram sobre este trabalho, que levou cinco anos para ser finalizado. "Nosso tempo é diferente, não vivemos qualquer tipo de pressão, e muito menos apenas de venda de disco. Ficamos mais de dois anos em turnê com o acústico (MTV), por exemplo", contou Lobato. "Mais uma vez a galera não encontrará o óbvio", acrescentou Marcelo Falcão, que declarou com exclusividade à Gente que Maria Rita não passa de uma grande amiga.

Você fala que os clipes do O Rappa não precisam mostrar necessariamente o rosto dos integrantes, que a música deve sempre falar mais que os músicos. Mas você ganhou muita evidência quando namorou a atriz Deborah Secco. Como foi isso?
Exato! Namorei uma figura maravilhosa e apaixonante, assim também foi a minha história com a Deborah. Eu a trouxe ao meu mundo da música, às minhas famílias - de sangue e a banda - e conheci o mundo dela. Apresentei a ela minhas fãs, e a Deborah viu que trato todos bem, não há distinção nem confusão. Hoje sei que a Deborah está bem e fico bem com isso, tenho carinho por ela, apesar de não termos nos falado mais.

Mas você se incomodou com a exposição?
Na época, o que incomodou é que as pessoas falaram mal e criaram situações que nunca existiram, não falaram nada positivo. Queriam mostrar que eu tinha outra pessoa para machucá-la, e vice-versa, o que nunca existiu.

Então, seu relacionamento com ela acabou por causa da superexposição?
Todos sabiam que namorávamos e ponto. O que mais queriam saber? Onde eu dormia, comia, ou ia? Era demais.

A cantora Maria Rita foi apontada como pivô da separação. Você chegou a apresentá-las?
Sim, foram apresentadas, e apesar de eu ter certeza que se admiram profissionalmente, nunca houve tempo de rolar uma amizade. Foram os outros que conseguiram destruir o que poderia ser bacana. O feio foi a maldade das pessoas. Também falaram que eu maltratei uma menina do Big Brother. Alô, Big Brothers, todos são bem vindos ao show do O Rappa, assim como qualquer pessoa, seja negro, branco, amarelo ou judeu. Comigo não rola preconceito.

Mas e hoje, você namora a Maria Rita?
Já que você tocou nisso, vou falar de uma vez para não voltar neste assunto. Não, não namoro a Maria Rita. Já tentei namorá-la, mas somos tão amigos que não rola. É o maior amor de amigo.

Por quê?
Justamente por nos darmos muito bem como amigos. Amo a pessoa da Maricota, assim como admiro a profissional que ela é. Sei que ela também tem um grande carinho por mim e pelo O Rappa, mas é pura e verdadeira amizade.

Como é o relacionamento de vocês?
Fomos apresentados há algum tempo por um amigo em comum, o produtor Tom Capone (falecido em 2004), mas nunca tinha rolado nada além da amizade, até as pessoas começarem a apontar fatos. Falaram tanto que um dia me despertou curiosidade. Mas vimos que nunca conseguiremos ser namorados.


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS