- Anuncie
- Assine

 
 
 
Livros // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Questão de honra
Reila Gracie conta a história do pai em Carlos Gracie - O Criador de uma Dinastia (Record, 560 págs., R$ 49), narrando as primeiras aulas de artes marciais, as brigas em que o patriarca se meteu, as rixas e os dramas familiares, detalhes dos principais combates e como ele criou o estilo conhecido como Brazilian jiu-jítsu:

Aina Pinto

MODELO BRASILEIRO “(...) ele sentiu que precisava desvincular definitivamente o seu jiu-jítsu (...). Assim, diante do argumento de Rufino (sobre a regra usada no Japão para definir uma derrota), Carlos respondeu que ele próprio decidiria e determinaria quais seriam as regras do jiu-jítsu que praticava.”

GRADES “Essa experiência de convívio com prisioneiros levaria Carlos Gracie (preso por agressão), anos mais tarde, a fazer visitas a presídios apenas para conversar com os detentos (...). Em seu impulso para a pesquisa sobre o comportamento humano, já na década de 1950, ele também visitaria manicômios a fim de procurar entender as causas da loucura.”

MORTE “Carlos Gracie já esperava havia tempos a perda dessa filha (Clair, que tinha passagens pela polícia, envolvimento com traficantes e foi encontrada morta aos 32 anos). (...) Não era do feitio de Carlos se deixar alterar quando já havia se preparado para enfrentar uma situação e, com sua religiosidade profunda e inabalável, não encarava a morte como fim, mas sim como um rito de passagem para a vida seguinte.”


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS