- Anuncie
- Assine

 
 
 
Capa // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Carolina melhor aos 30
Perto de fazer 30 anos, a atriz está no auge da boa forma após emagrecer 28 quilos,conta como ficou o sexo depois do segundo filho e diz nunca ter experimentado drogas, apesar de viver uma roqueira tresloucada no filme Onde Andará Dulce Veiga?

TEXTO JOÃO BERNARDO CALDEIRA E LUCIANA BARCELLOS FOTOS NANA MORAES

Ela chega de havaianas, calça jeans, camiseta e casaco de lã, sem nenhuma maquiagem, um lápis ou brilho nos lábios. Carolina Dieckmann está completamente em forma depois de emagrecer 28 dos 29 quilos que ganhou durante a gravidez do segundo filho, José. Simpaticíssima, pede desculpas pelo atraso e dá um abraço apertado na equipe. Nem de longe passa a imagem da roqueira tresloucada e egocêntrica do filme Onde Andará Dulce Veiga?, de Guilherme de Almeida Prado – uma personagem diferente de tudo o que Carolina Dieckmann já fez em seus 15 anos de carreira. No longa, em cartaz nos cinemas, ela cheira cocaína, mostra os seios e é bissexual. “A Márcia me desafiou. Nunca tinha feito nada parecido”, diz a atriz, que já começou a gravar a próxima novela das sete, Três Irmãs, que estréia em setembro.

“Comecei a fazer três horas de balé por dia, exercícios com bola e uma dieta, que calcula o número de notas (alimentos) que preciso ingerir”

É o oposto da mulher bem casada e mãe rigorosa de dois filhos – Davi, 9 anos, da união com Marcos Frota, e José, 10 meses, do casamento de cinco anos com Tiago Worcman. Carolina diz que detesta o rock pesado cantado por ela mesma no filme. E é igual à maioria das mulheres quando o assunto é traição: “Se o cara que deita na minha cama trepar com outra pessoa, dificilmente conseguiria passar por cima”.

Prestes a completar 30 anos em setembro, ela já começou a organizar a festa. “Me sinto muito melhor agora”, garante. “Tenho uma vida de sonho. Tenho tudo o que quero: saúde, um marido que eu amo, dois filhos incríveis que eu adoro e uma profissão que cada vez me dá mais tesão.”

Você voltou à forma muito rápido. Já voltou aos 50 quilos? Foi difícil perder os 29 quilos que ganhou na gravidez?
Falta um. Perdi 28, dos 29 quilos que engordei. Ralei pra caramba! Fiquei sete meses sem fazer regime porque estava amamentando. Quando recebi o convite para a novela, comecei a fazer três horas de balé por dia, exercícios com bola e a dieta das notas (criada pelo endocrinologista carioca Guilherme de Azevedo Ribeiro), que calcula o número de notas (alimentos) que preciso ingerir, baseado no cálculo da altura, peso, sexo e na soma calórica de cada alimento. Eu preciso consumir 500 notas para chegar aos meus 50 quilos.

Em setembro, você completa 30 anos. Surgiu alguma crise existencial?
Estou programando uma big festa e amando a chegada dos 30. Me sinto muito melhor do que aos 20 anos. Sou uma pessoa mais saudável e enérgica. Eu comia muita merda, era muito dorminhoca e preguiçosa.

Você se considera mais sexy hoje do que no passado?
Mais tudo. E me sinto bem de jeans e camiseta. É a maneira como me mostro mais verdadeira. A pessoa ser honesta e espontânea é extremamente sexy para mim.

No filme você interpreta uma roqueira revoltada. Que referências você utilizou para compor a personagem?
A Márcia me desafiou. Nunca tinha feito nada parecido. Fiz uma composição pra ficar com uma atitude rock’n’roll e na minha cabeça veio a masculinidade da Cássia Eller. É uma voz que eu gosto, mais rouca e grave. Eu queria ficar menos feminina e curvilínea. Na verdade nunca gostei de rock. Não gosto de escutar em casa, só gosto em festa.

Sentiu-se desconfortável nas cenas em que usa cocaína e maconha?
Foi dificílimo filmar aquilo tudo. Nunca tinha visto ninguém cheirando na minha frente e não queria fazer uma caricatura. Nunca senti vontade de experimentar nenhuma droga, não gosto de perder a lucidez e não vejo graça em nada que vicia. Para uma pessoa careta como eu fazer uma personagem que cheira e fuma já é uma transgressão.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>

Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS