- Anuncie
- Assine

 
 
 
Cinema // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Sex and the City - O Filme
Miranda, Carrie, Samantha e Charlotte ganham as telonas

VIVIENNE WESTWOOD, Christian Lacroix, Louis Vuitton, Oscar de La Renta. Fale o nome do estilista e lá está ele, representado em alguma peça do luxuoso guarda-roupa produzido pela figurinista Patricia Field para a versão cinematográfica de Sex and the City. A série criada em 1998 por Darren Star, a partir do best-seller de Candace Bushnell, virou referência no mundo da moda como uma vitrine de novos estilos, sempre ousados, que adornavam o glamouroso quarteto formado por Carrie (Sarah Jessica Parker), Samantha (Kim Cattrall), Charlotte (Kristin Davis) e Miranda (Cynthia Nixon). O filme é um impecável catálogo fashion, mas vai além. O roteirista e produtor executivo da série, Michael Patrick King, assume a direção e entrega uma comédia romântica com brilho próprio, capaz de entreter quem nunca ouviu falar das personagens.

Carrie retoma o posto de narradora e, logo na abertura, faz uma breve apresentação das amigas e do que ocorreu nos quatro anos seguintes ao último episódio da série, exibido em 2004. Ela continua firme com Mr. Big, e a palavra casamento já faz parte do dicionário do escorregadio namorado. Charlotte e o marido Harry adotaram uma menina chinesa e a união de Miranda e Steve, pai de seu filho, parece abalada pela rotina. Mais curioso, porém, é ver a insaciável Samantha em uma bela casa de praia em Malibu, onde vive em esforço contínuo para manter a relação monogâmica com Smith, agora um astro de Hollywood. Suas escapulidas para Nova York, e os encontros das belas em agitados restaurantes, cafés e lojas de grife lembram o quanto a cosmopolita cidade é essencial na história.

A trama reserva boas e más surpresas e, embora um pouco longa, segue envolvente até o desfecho. O cuidado do diretor em lapidar suas protagonistas é o que mais chama a atenção. Sem a correria de ter de resolver tudo em um único episódio, King explora nuances na personalidade de cada uma e ainda se dá ao luxo de inserir uma nova personagem: Louise, a assistente de Carrie. Interpretada por Jennifer Hudson, vencedora do Oscar de coadjuvante por Dreamgirls, ela é uma jovem batalhadora, que faz contraponto à riqueza do restante do elenco. Mas todas aqui estão em busca de duas coisas: marcas famosas e amor. Ao final, contudo, a força da amizade sobressai e responde pelos momentos de maior emoção. Suzana Uchôa Itiberê

Figurino é um show à parte, mas a trama faz jus ao sucesso da série


Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff - Media Solutions