- Anuncie
- Assine

 
 
 
 
Capa // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 







Os prazeres de Flávia Alessandra
Depois de dois casamentos com homens mais velhos, ela se diz realizada com um marido da mesma idade, como Otaviano Costa, e fala do seu lado masculino

TEXTO MACEDO RODRIGUES FOTOS ERNANI D'ALMEIDA

Flávia Alessandra pegava um avião rumo a Buenos Aires na noite de 8 de novembro, para, no dia seguinte, ir ao casamento de uma amiga. A atriz não sabia, mas o Brasil que acabara de deixar para trás nunca mais seria o mesmo para ela. Enquanto esteve na capital argentina foi exibido por aqui o capítulo de Duas Caras em que sua personagem, Alzira, aparecia pela primeira vez na novela de biquíni fio-dental, fazendo uma arrebatadora sessão de pole dance. A cena levou o ibope da trama às alturas, deixou os censores de Brasília em alerta e os brasileiros alvoroçados. Quando Flávia desembarcou no aeroporto do Galeão, no Rio, dois dias depois, reparou que os homens a olhavam diferente. Do funcionário da alfândega ao carregador de malas, todos a recebiam com indisfarçável satisfação. A atriz perguntou o que se passava ao marido Otaviano Costa, que a aguardava no desembarque. Ele lhe respondeu que não se falava em outra coisa por aqui que não fosse a tal cena de pole dance. "Só aí a ficha caiu. As pessoas tinham descoberto uma outra Flávia, de uma sensualidade muito forte. Até as mulheres vieram me dizer que não sabiam que eu era assim. Mas, claro, eu não tinha por que expor isso no meu dia-a-dia. Era uma coisa que vivia entre quatro paredes, em casa. Mas quando a personagem pediu, este meu lado estava lá, prontinho para entrar em cena."

''No Otaviano, encontrei tudo o que sempre procurei e admirei num homem, que é a maturidade aliada à cabeça aberta e à jovialidade para acompanhar o meu pique ''
FLAVIA ALESSANDRA

Aos 33 anos, mãe de Giulia, 8 anos, Flávia tem sido requisitadíssima para fazer campanhas publicitárias que procuram mulheres sexy para vender produtos. Sente-se à vontade para conversar sobre sexo, sem receio de opiniões originais. Perguntada se faz sexo sem amor, saiu-se com uma frase de fazer inveja a Nelson Rodrigues: "Mesmo com o nosso amor, a gente tem que fazer sexo sem amor, que é uma delícia. No fundo, acho que sexo e amor são duas coisas independentes." Também revela sem pudores que é consumidora de filmes de sexo explícito e fantasias eróticas nas sex-shops que sempre freqüentou. Ela não se tornou cliente apenas para fazer laboratório e compor sua personagem, que causou um boom de vendas nas fantasias de enfermeira. "Otaviano já usufruía de tudo isso muito antes de Alzira entrar em cena."

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | 4 | Próxima >>

Copyright © 2008 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff - Media Solutions