Cinema • Home• Revista 17/3/2008
Uma americana bem Brasileira
Camilla Belle, filha de mãe brasileira, é uma das atrizes em ascensão no cinema norte-americano e atualmente encarna o principal papel feminino na superprodução 10.000 A.C.

TEXTO MARINA MONZILLO

Envie esta matéria para um amigo
LORENZO AGIUS/ WWW.ARTISTREPINC.COM
Diferente das outras jovens atrizes de Hollywood, ela dispensa badalações: “Ainda moro com meus pais e adoro todo mundo reunido nos almoços de domingo”

A mais nova estrela de Hollywood nasceu em Los Angeles, fala português, ama pão de queijo e brigadeiro e passa o Ano-Novo vestida de branco. Camilla Belle, 21 anos, que atualmente pode ser vista nos cinemas no blockbuster 10.000 A.C., é filha de uma estilista brasileira e de um compositor norte-americano e costuma, desde a infância, passar temporadas em Santos, a cidade de sua mãe. A atriz adotou muitos hábitos do Brasil, como o gosto pelas novelas. Ela, inclusive, se chama Camilla por causa da personagem de Renata Sorrah em Cavalo de Aço (1973). “Cresci vendo o José Wilker e a Renata Sorrah, mas minhas lembranças mais antigas são a praia e a comida. Tenho muitos primos e era uma festa, estávamos sempre comendo muito, uma delícia!”, conta em português fluente, com sotaque.

A carreira de Camilla começou cedo, aos nove meses, quando, de tanto ouvir elogios à beleza de seu bebê, a mãe, Deborah, levou a filha única para testes de comerciais. Morando na capital do cinema, foi natural a menina logo começar também a atuar. Entre os filmes que fez está A Princesinha, de Alfonso Cuarón, e O Mundo de Jack e Rose, ao lado de Daniel Day-Lewis. Camilla chama a atenção em Hollywood também pelo visual fashion e sofisticado. Em 2006, foi eleita uma das mais bem-vestidas pela revista Vogue e, no momento, seu rosto estampa a campanha do perfume Princess, de Vera Wang.

Para filmar 10.000 A.C., a atriz passou seis meses entre a Nova Zelândia, África do Sul e Namíbia, sempre acompanhada da mãe, que é sua agente. “Ela cuida de mim, não tem interesse como os outros teriam. E virou mãe de todos do elenco!” Camilla conta que graças aos cuidados maternos, foi a única que não ficou doente com as variações climáticas – eles foram da neve ao deserto – e as mudanças de alimentação.

Deborah também é a companhia de longas caminhadas em Los Angeles. Na contramão das artistas bonitas e jovens de Hollywood, Camilla não é chegada a badalações e noitadas. Além dos passeios a pé, curte cozinhar pratos brasileiros, como feijoada e torta de frango, para os amigos.

Ela admite ser mais “família” do que as amigas americanas, e credita essa característica ao sangue verde-amarelo: “Ainda moro com meus pais, o que não é comum nos EUA, e adoro essa coisa de todo mundo reunido nos almoços de domingo”, revela.

DIVULGAÇÃO
A atriz em cena como a mocinha Evolet, seu mais recente trabalho nas telonas