Moda • Home• Revista 26/11/2007
Estampas
O verão 2008 promete ser um verdadeiro carnaval de estampas. Os estilistas apostam em ilustrações com referências étnicas, desenhos psicodélicos e padronagem inspirada nas peles e penas dos animais

Envie esta matéria para um amigo
Fotos: DIVULGAÇÃO
A estilista Thaís Losso buscou referências orientais para a coleção da grife Sommer apresentada no Fashion Rio

Étnicos, psicodélicos, florais, grafismos e pele de animais – dos felinos às borboletas. Todos os tipos de desenhos dominaram os desfiles nacionais e internacionais e tornaram a temporada uma das mais coloridas dos últimos tempos. A grife italiana Emilio Pucci, que tem como marca registrada sua estamparia ousada, teve forte concorrência, como Balenciaga e Kenzo. Nesta coleção, Pucci exibiu em suas criações desenhos das tapeçarias dos índios americanos. Não faltaram referências e inspirações em tribos dos quatro cantos do mundo, que coloriram tecidos como seda, crepe e malha de algodão. A representação máxima desta vertente na SP Fashion Week é a grife Neon, da dupla de estilistas Dudu Bertholini e Rita Comparato. Mestres em elaborar ilustrações, eles costumam dar um show na passarela com seus vestidos, batas e caftãs coloridos. “A inspiração vem de todo tipo de etnia. Já fizemos estampas de sementes indígenas, de tribos africanas, de elementos marroquinos”, conta Dudu. Para deixar o verão 2008 ainda mais moderno, ele sugere misturar tecidos estampados com elementos do streetwear. “A tendência vem das ruas da Europa, onde as jovens usam vestidos estampados com tênis de skate”, explica.

 

 

 

Fotos: DIVULGAÇÃO

COLORIDO
Mistura de padronagens na passarela da Colcci (1). André Lima (2) criou ilustrações abstratas com estamparia inspirada nas peles e penas de animais. A dupla de estilistas da Neon (3) salpicou desenhos de mulatas estilizadas em suas criações. Em Milão, Emilio Pucci (4) resgatou a tapeçaria dos índios americanos. Desenhos do universo marinho e a chita vinda da Índia se misturam na coleção da Cantão (5)