Ensaio • Home• Revista 29/10/2007
Ticiane Pinheiro em Simple Life
A mulher de um milionário pode ter uma vida simples? esposa do empresário Roberto Justus, a estrela do Reality Show Simple Life aprendeu a fazer pão caseiro, a organizar a casa e ainda voltou do sítio onde passou 40 dias com o sonho excêntrico de criar um casal de avestruzes

TEXTO BIANCA ZARAMELLA

Foto Edu Lopes www.edulopes.com.br

Quem vê Ticiane Pinheiro acompanhada do marido Roberto Justus, nem imaginava que ela seria capaz de deixar para trás os saltos altos e o glamour para encarar o desafio de uma vida completamente diferente por 40 dias. Acostumada à agitação e à mordomia da vida urbana, ela surpreendeu amigos e familiares quando resolveu participar do reality show Simple Life - Mudando de Vida ao lado da amiga Karina Bacchi. Enquanto Karina aceitou a proposta com o entusiasmo de quem adora novas aventuras, a recém-casada Ticiane resistiu inicialmente à idéia de deixar seu ninho de amor por tanto tempo. "Pensei que seria uma chance de mostrar quem eu sou. Sempre quis ser reconhecida pelo meu trabalho", conta a atriz, modelo e apresentadora que largou tudo para gravar o programa em Analândia, cidade de 24 mil habitantes no interior de São Paulo. "Às vezes eu passava o dia inteiro tirando leite das búfalas e depois disso eu só queria um banho. Mas na casa tinha apenas um banheiro para oito pessoas", conta Ticiane, que acaba de lançar o livro "Patricinha sem Salto", escrito por Fernanda Moraes, no qual narra as peripécias rurais.

Depois de aprender a tirar leite de vaca, correr atrás de um avestruz e ver uma galinha ser degolada para o almoço, histórias não faltam para contar. "Lavava louça todos os dias, organizava as minhas coisas e até aprendi a fazer pão. Fiquei mais segura para coordenar as coisas em casa", revela. Mesmo com o sucesso do programa, ela ainda decide se encara uma segunda edição da atração ou se opta por novos desafios na carreira. "Queria engravidar no ano que vem, mas isso vai depender dos trabalhos que surgirem daqui para a frente", diz, entusiasmada com o atual rumo da carreira. Nesta nova fase e aos 31 anos de idade, ela não quer mais ser apenas a filha de Helô Pinheiro, a eterna Garota de Ipanema, e nem a mulher do famoso publicitário Roberto Justus. Ticiane Pinheiro quer ser reconhecida pelo talento como apresentadora e atriz. Em vez de ficar à sombra da mãe, Tici, como é chamadas pelos amigos, quer viver a Garota de Ipanema em um filme. "Acho que posso interpretar minha mãe e vou provar para todo mundo que sou boa no que faço."

Foto Edu Lopes www.edulopes.com.br
FOTOS EDU LOPES/AG. ISTOÉ FOTOS EDU LOPES/AG. ISTOÉ FOTOS EDU LOPES/AG. ISTOÉ
A apresentadora enfrentou a cozinha da família Paiuta, que a hospedou por 40 dias em Analândia. Teve que lavar louça e cozinhar
Ticiane e o marido, Roberto Justus, assistiram aos episódios de Simple Life juntos. "Ele elogiou minha força de vontade e rimos muito dos micos que paguei" "Eu passava o dia tirando leite de búfalas, e depois tinha que esperar a fila do banho. Nessa hora lembrava da minha casa"

Você tem uma vida confortável em São Paulo. Como foi abrir mão de tudo isso?
Quando eu recebi o convite, fiquei com medo de deixar tudo para trás e até chorei. Tinha acabado de me casar, estava em luade- mel e não queria sair de perto do Roberto. Mas valeu a pena. Conheci pessoas generosas que me ajudaram muito.

Por que o Simple Life fez tanto sucesso?
Queria ir com uma pessoa que tivesse vontade de fazer o programa. Conheço a Karina desde os meus 14 anos. Sabia que ela era divertida. Precisava de alguém que me apoiasse na hora da saudade de casa e a gente sabia que ia se divertir. Pagamos os micos juntas, ao vivo para todo o Brasil.

Vocês cuidaram da casa, trabalharam duro no estábulo e até fizeram inseminação artificial numa vaca...
Por isso que o programa deu certo. Fiz coisas diferentes, que ninguém nunca imaginou. As pessoas me vêem séria, acham que eu sou metida e no fundo sou brincalhona. Adoro falar besteira, tomar um chopinho, como toda pessoa normal. Encarei os trabalhos com bom humor. Mas algumas coisas foram mais pesadas mesmo.

O que era mais pesado?
Tinha um banheiro para oito pessoas. Eu queria tomar banho e a fila demorava. Passava o dia inteiro tirando leite de búfalas, com aquele cheiro fedido. Depois, só queria um banho e tinha que esperar. Nesta hora eu respirava e lembrava da minha casa. Batia saudade (risos).

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>