Paternidade • Home• Revista 24/9/2007
Filha do rei?
A Hare Krishna Maria Leopoldina Splendore, caçula do costureiro Dener, pode ser filha de Roberto Carlos e diz que aceita fazer exame de dna

TEXTO LUCIANA FRANCA

KARIME XAVIER
Maria Leopoldina acredita que Dener é seu pai: “Mas estou disposta a fazer o exame de DNA se for para acalmar a mente de Roberto Carlos.” O Rei (à dir.) esteve no leilão de gado de Ivan Zurita no sábado 15 e nada comentou

A polêmica que envolve dois reis dos anos 60 – o da alta-costura, Dener, e o da Jovem Guarda, Roberto Carlos – não é nova. Tem mais de quatro décadas. Mas agora ganha atenção especial porque pela primeira vez não se trata de boatos contados por terceiros. Ela será descrita por um dos protagonistas: a ex-manequim Maria Stella Splendore. Aos 59 anos, devota do movimento para a consciência de Krishna, ela está prestes a lançar uma autobiografia na qual contará seu rápido romance com Roberto Carlos, quando ainda era casada com Dener. E ainda a possibilidade de sua caçula, Maria Leopoldina Splendore Pamplona de Abreu, ser filha do cantor e não do estilista. “É uma probabilidade, na época não havia exame de DNA”, diz Maria Stella. Quando Maria Leopoldina nasceu, em 1967, Dener duvidou que a filha fosse legítima. “Meu pai Dener demorou um ano para me registrar, fui a grande vítima dessa história”, diz ela a Gente. Hoje com 40 anos, mãe de quatro filhos e prestes a ser avó, Maria Leopoldina sempre acreditou que Dener era seu pai biológico.

“Mas estou disposta a fazer o exame de DNA se for para acalmar a mente de Roberto Carlos”, afirma. Também devota de Krishna e missionária do projeto de distribuição de alimentos Food for Life, ela afirma que não tem interesse em resgatar seu passado.

O romance

KARIME XAVIER
Maria Stella Splendore conta o caso com Roberto em sua autobiografia.

A primeira aproximação de Maria Stella com o rei do iê-iê-iê aconteceu quando ela estava grávida do primeiro filho, Frederico, em 1966. “Dener era entrevistado por Hebe e eu estava nos bastidores da TV Record quando alguém falou no meu ouvido: ‘Você está muito bonita esperando neném’. Era Roberto Carlos, que então foi apresentado por um amigo em comum”, lembra ela. O segundo encontro, também casual, aconteceu num show no Teatro Municipal de São Paulo. Dener e Maria Stella deram de cara com Roberto Carlos nos camarins. Ele perguntou se o neném já tinha nascido e disse que queria conhecê-lo. O affair começou de verdade logo depois, quando o músico foi levado pelo jornalista Roberto Corte Leal para um jantar na residência do casal. “Esse foi o encontro mais próximo. Da amizade para o romance foi rápido. Eu tinha 18 anos, já com uma criança, e me envolvi com ele”, conta Maria Stella.

O casamento com Dener, que durou quatro anos, estava desgastado antes mesmo de o primogênito nascer. “O dia-a-dia foi difícil. Eu era uma menina de meia soquete que se apaixonou por um homem com todo aquele peso, que era amigo desde os porteiros das boates até o presidente da República”, conta ela.

“Todas as portas se abriam para ele. Mesmo grávida e enjoada, eu voltava para casa de manhã todos os dias. Eu não tinha estrutura para aquilo.” Antes de desconfiar que a mulher vivia um romance com Roberto, o costureiro chegou a pedir para que o músico desse uma carona a Maria Stella em seu avião particular, já que ela não gostava de viajar do Rio a São Paulo de trem. Logo depois, amigos em comum começaram a alertar Dener sobre o caso. “Alguém disse a ele que eu estive sozinha na casa de Roberto”, diz a ex-manequim.

Primeira aproximação

KARIME XAVIER
Maria Stella Splendore conta o caso com Roberto em sua autobiografia. Ao lado, com Dener e os filhos Frederico e a recém-nascida Maria Leopoldina, em 1967

A aproximação de Maria Leopoldina com Roberto Carlos aconteceu quando ela tinha 12 anos de idade. Dener tinha acabado de morrer e Maria Stella achou que deveria contar sobre a possibilidade de ela ser filha de outro homem. Elas foram morar no hotel Copacabana Palace, no Rio, onde o Rei também se hospedava. “Nós conversamos, ele me falou que havia a possibilidade de ser meu pai e que meu acesso a ele seria facilitado. Tentei procurá-lo umas duas vezes, mas era muita burocracia para chegar até ele. Desisti”, conta ela. Foi nessa ocasião também o último contato de Maria Stella com o ex-amante. “Depois que Maria Leopoldina saiu do quarto dele, nos falamos por telefone. Ele disse que estava tudo certo, que o acesso seria facilitado. Só que isso nunca aconteceu. Fiz o máximo que podia por ela. Acho que hoje é uma ferida bem cicatrizada”, conta. Roberto Carlos não fala sobre a polêmica paternidade. Não comentou o assunto ao comparecer ao leilão de gado de Ivan Zurita no sábado 15. Segundo sua assessoria, ele está em estúdio terminando o CD que será lançado no final do ano e não vai se pronunciar sobre o assunto.