Música • Home• Revista 12/6/2007
MPB
Zé Renato Ao Vivo
Cantor faz balanço de carreira que merecia ser mais conhecida

Dirceu Alves Jr.

Envie esta matéria para um amigo

Leia também

Cinema
Exposição
Música
Livros
Teatro
Internet
Televisão
Gastronomia
Zé Renato: 50 anos de vida e 30 de música Zé Renato: 50 anos de vida e 30 de música

Um bom cantor nem sempre é dono de um vozeirão. Com voz pequena e suave, Zé Renato chama atenção desde a virada dos 70 para os 80, quando integrava o grupo Boca Livre. Desde que seguiu trabalho solo, o artista permaneceu fiel a uma qualidade rara. E lá se vão três décadas de uma carreira sólida que merecia ser mais conhecida. Zé Renato - Ao Vivo é um oportuno balanço desta trajetória que ainda festeja os 50 anos do ex- Boca Livre.

Gravado no Estrela da Lapa, no Rio, o DVD tem o clima aconchegante exigido por sua obra. O violão de Zé Renato vem acompanhado por um sofisticado trio em um repertório que, em grande parte, passa longe do conhecido. Exceções são "Diz que Fui por Aí", já registrada no CD dedicado a Zé Keti, "Mulher", de Custódio Mesquita e Sadi Cabral, uma delicada releitura de "Roxane", de Sting, com participação do sax de Zé Nogueira, e a simbólica "Eu Quero Botar Meu Bloco na Rua", de Sérgio Sampaio. Falando em participações, Milton Nascimento aparece em "Anima" mais para glamourizar o projeto que para acrescentar musicalmente. Mas o melhor são os extras. Um sentimental encontro com Tom Jobim, em 1990, está no clipe de "O Amor em Paz", que já vale o pacote. Sem falar no batepapo com os amigos Pedro Luís, Teresa Cristina e Juca Filho, em que o cantor, quase que com medo de parecer pedante, explica os motivos que o levaram a fazer o DVD. Simples e surpreendente