CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 MULTIMÍDIA
 SEÇÕES
 ROCK IN RIO
 REPORTAGENS
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 QUEM SOU EU?
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 URGENTE
 BUSCA
 
 

22/01/2001

Carreira

Isabela Garcia volta por cima
Nas telas desde os quatro anos, a atriz recusa convite da Record, renova com a Globo, onde trabalha há 30 anos, e diz que não gostaria de ver os filhos se tornarem artistas

Márcia Montojos

Fotos:André Durão
Isabela: “Tenho que ganhar dinheiro, minhas despesas são altas’’

A atriz Isabela Garcia estreou na tevê aos quatro anos num episódio de Caso Especial da Rede Globo. Aos dez, fez Nina, a primeira das 16 novelas de sua carreira. A garota de sorriso largo que cresceu no vídeo e encantou o País chegou a ser chamada de Shirley Temple brasileira.

Hoje, aos 34 anos, mãe de dois filhos, não perdeu o jeito e o espírito de menina. O corpo mignon — 47 quilos e 1,52 metro de altura — reforça a aparência juvenil. “Sou uma pessoa de bem com a vida, tenho uma família legal e há trinta anos trabalho no que gosto”, explica a atriz.

Isabela chegou à entrevista à Gente no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, acompanhada da atriz Inês Galvão, uma amiga de longa data, e da filha Gabriela, de nove anos. Espontânea, interrompeu o depoimento diversas vezes por causa de risadas e brincadeiras com a amiga.

A descontração vai além das amizades. Ao perceber que um casal de turistas procurava alguém para bater uma fotografia, Isabela imediatamente se prontificou a ajudá-los. Quando foi reconhecida, abraçou os fãs e posou para fotos na ponta dos pés.

Em fevereiro, ela retorna às telas. A atriz estará na próxima novela das seis, Estrela Guia. Viverá a artista plástica Luciana e contracenará com o ator Evandro Mesquita, seu marido hippie na trama. “Prefiro papéis mais leves na tevê”, diz a atriz. Segundo ela, a personagem pesou na decisão de permanecer na Globo e recusar o convite da Rede Record para mudar de casa. Isabela, que integra o elenco fixo da emissora carioca há trinta anos, acaba de renovar seu contrato.

André Durão
Ela só percebeu que estava grávida de João Pedro no quarto mês

“Ela é maravilhosa. Pena que os artistas que fizeram carreira na televisão não tenham o merecido reconhecimento. A exceção é a Glória Pires”, diz a atriz Betty Faria. O diretor Daniel Filho faz coro. “Por ter crescido na Globo, às vezes, não lhe dão o devido valor.”

Longe do vídeo desde Andando nas Nuvens, de 1999, ela diz que não recusa personagens. “Tenho que ganhar dinheiro, minhas despesas são altas”, argumenta a atriz, que ainda não conseguiu comprar um apartamento.

Embora seja cria da televisão, Isabela conta que estar nos palcos é sua grande paixão. Há duas semanas estreou, no Rio, com a peça Alarmes, uma comédia dirigida por Moacyr Góes. “Teatro é o que mais gosto de fazer”, revela.

DOIS CASAMENTOS Dizendo viver um momento especial, ela conta que está mais feliz e tranqüila depois que começou a fazer análise, há cerca de dois anos. O período coincide com o fim do casamento com o fotógrafo André Wanderley, pai de Gabriela. Na análise, Isabela foi em busca de autoconhecimento. “É maravilhoso”, resume a atriz, sem querer dar detalhes das mudanças por que passou.

A união com Wanderley, a segunda de Isabela, durou sete anos. Antes, por dois anos e meio, morou com o músico Marcelo Bonfá, ex-Legião Urbana. Quando já estavam separados, nasceu João Pedro. Ela tinha apenas vinte anos. A gravidez foi tão inesperada que Isabela só percebeu que estava grávida no quarto mês de gestação. “Levei um susto, mas fiquei muito feliz”, lembra.

Meses depois, foi escalada para a novela Bebê a Bordo, em 1988, quando iniciou o namoro de um ano com o ator Guilherme Fontes, seu par na trama. Foi a prova de fogo. Com essa experiência, percebeu que a maternidade não atrapalharia seus planos de vida. “Criar filho não é problema para mim”, diz. Ela faz questão de levá-los ao colégio e às aulas de inglês. Sempre às voltas com a garotada, é madrinha de onze crianças.

Isabela admite que não gostaria de ver os filhos na sua profissão. “Com o crescimento das emissoras, o ritmo das gravações é muito acelerado e sacrifica a criança”, justifica. Segundo ela, na época em que começou na tevê dava para respeitar seus horários de estudo e alimentação. A veia artística dos filhos, porém, pulsa firme: Gabriela quer ser cantora e João Pedro sonha em se tornar guitarrista

Comente esta matéria

 


Horóscopo
ENQUETE
Qual a melhor edição do Rock in Rio?
 • Rock in Rio, em 1985

 • Rock in Rio II, em 1991

 • Rock in Rio III, em 2001
 
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
O governador de São Paulo Mário Covas deveria afastar-se do cargo para cuidar da saúde?
FÓRUM
Qual o motivo do fracasso de audiência da minissérie Os Maias?

EDIÇÕES
ANTERIORES

ESPECIAIS
MULTIMÍDIA
BATE PAPO
ASSINATURAS
EXPEDIENTE
PUBLICIDADE
FALE
CONOSCO
ASSINE A
NEWSLETTER

| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ÁGUA NA BOCA | ISTOÉ DIGITAL |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2001 Editora Três