CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 MULTIMÍDIA
 SEÇÕES
 REPORTAGENS
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 ESPECIAL ANO 2000
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO
  SECULO
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

Personalidade do ano 2000

Artes Cênicas
Com 47 anos de carreira, o ator brilha no teatro, numa memorável interpretação de Rei Lear, de Shakespeare, depois de roubar a cena na novela Terra Nostra, no primeiro semestre
 Foto: Piti Reali

Daniela Mendes

Piti Reali
“O ator brasileiro gosta de fazer clássicos e entre os clássicos o maior desafio é sempre Shakespeare, que é universal’’

Raul Cortez começou a perder os cabelos com 23 anos. Aos 30, já estava calvo, mas perto de completar 50 anos ainda não se sentia à vontade com o couro cabeludo liso. Em 1980, com 48 anos de idade, era um ator consagrado no teatro. Em fevereiro daquele ano, estreou nas novelas em Água Viva, da Globo, na pele do charmoso cirurgião plástico Miguel Fragonard, na trama de Gilberto Braga. O personagem revelou o talento de Raul Cortez para o grande público. E, por tabela, resolveu o complexo do ator. “A novela foi um sucesso absolutamente incrível e eu nunca mais tive problemas pelo fato de ser careca”, diz ele, entre gargalhadas.

Em plena forma aos 69 anos, completados em agosto passado, Raul Christiano Machado Cortez esbanja vitalidade. No primeiro semestre, brilhou na televisão. Roubou a cena em Terra Nostra, novela de Benedito Ruy Barbosa, no papel do empresário italiano Francesco Magliano. No segundo semestre, encarnou Rei Lear, clássico de Shakespeare na montagem do diretor Ron Daniels, e realizou um sonho antigo ao encenar pela primeira vez uma peça do mais importante autor inglês de teatro.

“O ator brasileiro gosta de fazer clássicos e entre os clássicos o maior desafio sempre é o Shakespeare, que é universal”, diz ele. A montagem, que demorou três anos para ficar pronta e sagrou-se um sucesso de público e crítica, voltará a ser apresentada em São Paulo no início de janeiro. Enquanto isso, ele segue religiosamente a rotina de exercícios coordenados por uma personal trainer e faz natação, atividades que o ajudam a manter um corpo 20 anos mais jovem. “Para ser ator é preciso de fôlego e esse papel exige agilidade física e mental”, diz ele.

Piti Reali

Raul tornou-se ator contra a vontade da família, que preferia vê-lo advogado. O pai, que discordava firmemente de sua opção profissional, nunca foi vê-lo atuar. Natural de Santo Amaro, cidade nas proximidades de São Paulo, cresceu com cinco irmãos. Até hoje Raul é apaixonado pela capital paulista, onde mora. “Não é uma cidade fácil de se viver, mas tem coisas que compensam, como uma vida cultural intensa”, afirma. O início foi difícil. Ele começou fazendo comerciais de mortadela, mas venceu preconceitos e conseguiu mostrar logo seu talento no palco, sua paixão. “O teatro deve mudar o comportamento das pessoas, acrescentar coisas e responder perguntas”, defende o ator, que nunca teve medo de expor seus pensamentos, idéias e posições políticas.

Raul Cortez,
69 anos,
atuou em
40 peças de teatro, fez
15 filmes e
participou de 15 novelas e
3 minisséries.
Rei Lear é sua primeira interpretação de
Shakespeare e demorou
3 anos para
ser montada.

Apaixonado pelo ofício, estrelou produções consagradas, entre elas Rasga Coração, de Oduvaldo Vianna Filho, e ao longo de 47 anos de trabalho construiu uma sólida e respeitada carreira. Atuou em 40 peças, 15 filmes e, apesar da estréia tardia na tevê, participou de 15 novelas e três minisséries. Na televisão, protagonizou papéis inesquecíveis, como o fazendeiro Geremias Berdinazi, de O Rei do Gado, de 1996. “Geremias tinha o que é mais bonito no homem: a contradição”, diz o ator. “E ele me ajudou a assumir a idade que tinha.” Por causa do personagem, Raul teve de deixar a barba crescer e assumir que os fios brancos já eram maioria. “Raul é um dos grandes atores brasileiros, tem uma carreira brilhante, é um fenômeno”, elogia Jayme Monjardim, diretor de Terra Nostra. “O grande ator consegue fazer com que o antigo personagem passe para a lembrança enquanto o novo se destaca.”
Raul casou-se duas vezes. O primeiro casamento foi com a atriz Célia Helena, já falecida, e durou pouco mais de um ano. Da união, nasceu Lígia, de 39 anos, mãe de suas duas netas, Vitória e Clara. Raul contracena com ela em Rei Lear. O segundo casamento, com a modelo Tânia Caldas, durou oito anos. Gerou Maria, hoje com 20 anos, com quem ele divide a casa no Jardim Marajoara. “Sou um banana com elas”, diverte-se o ator, que gostaria de ter tido seis filhos. Não completou o número desejado, mas cria seis cachorros da raça doberman, outra de suas paixões. “Eles são especiais.”

 

Leia Também

Marta Suplicy

Luciano Huck

Raul Cortez

Jô Soares

Milton Nascimento



Horóscopo
ENQUETE
Você aprova o tipo de transformação a que Carla Perez se submeteu para mudar o corpo?
 • Sim
 • Não
 
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
O que você acha das declarações da prefeita Marta Suplicy, que pretende iniciar seu mandato de vassoura na mão, ajudando a limpar a cidade de São Paulo?

EDIÇÕES
ANTERIORES

ESPECIAIS
MULTIMÍDIA
BATE PAPO
ASSINATURAS
EXPEDIENTE
PUBLICIDADE
FALE
CONOSCO
ASSINE A
NEWSLETTER

| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três