CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 MULTIMÍDIA
 SEÇÕES
 REPORTAGENS
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO
  SECULO
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA


Esporte

EDUARDO ESÍDIO
O Magic Johnson do futebol

Como o astro do basquete, o brasileiro Eduardo Esídio, 30 anos, chega ao ápice da carreira no Peru depois de descobrir que tem aids

Gustavo Maia

  Fotos: El Comeercio Peru
 
  Esídio segura a chuteira, como se estivesse falando com Deus pelo telefone: "o maior artilheiro de todos os tempos"

No domingo 26, o atacante do Universitário de Lima, o brasileiro Eduardo Esídio, deixou o gramado do Estádio Nacional com glórias de ídolo. Seu time venceu o Union Minas por dois a zero e Esídio marcou as duas vezes.

Com os gols, ele tornou-se o maior artilheiro do Peru em todos os tempos, tendo balançado as redes por 32 vezes. Ganhou páginas nos jornais, que o apontaram como um exemplo de vida.

Tudo porque, assim como o ídolo do basquete, Magic Johnson, Esídio chegou ao ápice de sua carreira, três anos depois de descobrir que é portador do vírus da aids.

Esídio não comenta como contraiu a doença. E por conta disso, sua vida mudou. Intensificou os treinamentos, casou-se com a namorada Soraya e entrou para a Igreja Universal. De lá para cá, sagrou-se artilheiro do time por duas temporadas antes de entrar para a história este ano. “A fé me guiou”, diz.

O jogador não toma as medicações para conter a doença, pois acredita ter sido curado pela fé. “Não preciso de remédio. Deus está do meu lado”, prega o craque, que joga com o nome de Jesus estampado em uma camiseta sob o uniforme do time.

O jogador, que começou a carreira no União São João de Araras, ganhou status de celebridade no país vizinho. Não consegue andar nas ruas sem ser assediado pelos fãs. A notoriedade, no entanto, não chegou ao bolso do craque. Pela foto registrada após um dos gols, que mostra Esídio segurando a chuteira, o jogador recebeu do fabricante de material esportivo, o equivalente a US$ 1 mil. “É pouco, mas ajuda”, revela.

Aos 30 anos, Esídio, que é dono de seu passe, dá um recado às equipes brasileiras que tiverem interesse em seu futebol. “Para me tirar daqui, tem que ser uma ótima proposta. Sou muito feliz no Peru.”

Comente esta matéria

 

Leia Também

O chefe de
Estado e a rainha
das passarelas

Ele imortalizou
Che Chevara

Carioca do
melhor balé

Brilho de
Esmeralda

Diva poderosa

O Magic Johnson
do futebol

Todos os
cabelos de Guga

Cobiçado
pelas estrelas

José Dirceu não
agüenta a pressão

Doméstica de
tirar o ar

Kelley Vieira,
a ex-miss
abandonada

Ri melhor quem
ri por último

A brasileira
que ficou com
Leonardo DiCaprio
antes de Gisele

Pai sertanejo,
filha pop


Horóscopo
ENQUETE
Qual é o penteado mais indicado para Guga?
 
FÓRUM
Aparecer ao lado de celebridades como Gisele Bündchen ajuda a aumentar a popularidade do presidente FHC?

EDIÇÕES
ANTERIORES

ESPECIAIS
MULTIMÍDIA
BATE PAPO
ASSINATURAS
EXPEDIENTE
PUBLICIDADE
FALE
CONOSCO
ASSINE A
NEWSLETTER

| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três