CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 MULTIMÍDIA
 SEÇÕES
 REPORTAGENS
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO
  SECULO
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA


Carreira

Amor com amor se paga
No auge da fama, o ator Reynaldo Gianecchini passa a usar aliança na mão esquerda e credita o sucesso à mulher, Marília Gabriela

Marianne Piemonte, de Curitiba

Silvana Garzaro
O ator-modelo exibe aliança que já usa há 15 dias

No ano passado, o modelo e ator Reynaldo Gianecchini, 27 anos, participou pela primeira vez da semana de moda de Curitiba, no Paraná. Para desfilar para a grife VR, recebeu um cachê de R$ 1,5 mil.

Chegou um dia antes do evento, fez prova de roupa e ensaiou junto com os demais modelos. Depois, colocou uma mochila nas costas, o headphone nos ouvidos e foi jantar tranqüilamente na praça de alimentação do shopping Crystal, onde normalmente acontecem os desfiles.

Este ano, foi tudo diferente. No sábado 28, Gianecchini chegou às 22h, minutos antes de entrar na passarela. Não precisou experimentar as roupas, por determinação de seu atual contrato, e engordou em R$ 20 mil a conta bancária por três entradas nos 28 minutos de show.

No anular esquerdo, trazia uma aliança de ouro, que tirava e colocava do dedo sem parar. “Estou usando há 15 dias”, contou o ator, que há dois anos vive com a jornalista Marília Gabriela.

Naquela noite, ele foi a estrela do desfile da grife paulistana VR, na semana de moda Crystal Fashion. Cerca de 4 mil pessoas foram ver de perto o Edu da novela Laços de Família. Mais de 90% da platéia eram mulheres que, entre gritos, suspiros e aplausos, vibravam diante do galã da novela das oito. “É difícil falar, mas acho que estar com a Marília deu uma turbinada na minha imagem”, admite.

Em Curitiba, o ator teve tratamento de astro global. Era acompanhado por quinze seguranças que chegaram às 17h, checaram as credenciais de quem estava nos bastidores e vistoriaram o camarim exclusivo do modelo.

Mesmo impressionado com a voracidade das moças presentes, o galã não tirou o sorriso dos lábios. Dono de traços impecáveis, cabelo sem nenhum fio fora do lugar, o modelo-ator causou tumulto por onde passou. “É o poder da televisão”, diz Dipa Pietro, diretor de marketing da VR, impressionado com mudança na vida de Gianecchini.

Encerrado o desfile, ele ainda encarou uma sessão de fotos, deu autógrafos para dezenas de fãs e conversou com Gente:

Sucesso

“Já me acostumei com a fama, mas não é sempre essa loucura. No Rio é mais tranqüilo. O que não gosto é dessa histeria porque não dá para parar, dar atenção. Tem gente que perde o controle. Não tem como reagir e o jeito é sair correndo. Certa vez, na Bahia, cheguei no quarto do hotel e havia algumas fãs lá dentro. Tentaram rasgar a minha roupa. Só não me machuquei por causa dos seguranças. Mas é incrível porque às vezes tem mais de 10 seguranças e eles não conseguem segurar a mulherada. Elas te pegam por baixo.”

Filhos de Marília

“Nossa relação é maravilhosa. Sinto que é a minha família, fui abraçado por eles. Sou muito próximo deles, muito amigo. O Theodoro e o Cristiano têm uma relação bem resolvida com a mãe e isso acaba refletindo em mim também. Não saímos para tomar cerveja ou jogar bola porque vivemos numa correria, mas saímos para jantar. Quando estamos juntos falamos sobre tudo, se passa uma mulher bonita nós comentamos. A Marília é que fica brava, levanta e vai embora. É um barato.”

Aborto

“Não chego a dizer que sou contra. Acho que cada caso é um caso. É muito difícil ter que enfrentar essa barra sem ter condições. Acho muito triste. Se fosse no meu caso, dificilmente apoiaria um aborto. Eu ficaria com a consciência pesada.”

Religião

“Sou religioso e acredito muito em Deus. Acredito numa proteção, no bem-estar do universo, em uma força regente, isso é religião para mim. Não freqüento nenhum templo, mas conheço um pouco de tudo, do espiritismo ao candomblé. Hoje em dia tenho minha fé e só.”

Proibição de gravar o casamento na novela

“Acho que a Igreja tem direito de proibir as cenas em que estou com a Carolina Dieckman no altar. Mas criticar a novela é complicado. Porque é um espelho da realidade e sou contra a censura. Não entendi exatamente o porquê disso. Não sei se é porque ela casa grávida. Se for isso, eu acho uma bobagem, porque um monte de gente faz isso. Ou se foi uma represália no geral, porque a novela trata de um monte de temas que a igreja não gosta.”

 

Leia Também

O rei de Roma
sem a majestade

A serviço da
arte dramática

Em busca
de brilho próprio

A zebra das urnas

Soco no pânico

O canto da
ex-chiquitita

Amor com
amor se paga

Campeão também
pilota fogão

Um operário
no poder

Potente personagem

Flores de mãe
para filha

O mito doma a crise

Marcelo Rossi

Horóscopo

ENQUETE
O sucesso
de Reynaldo Gianecchini
se deve:
• a sua beleza
• a mulher, Marília Gabriela como ele diz
• aos beijos que deu em Vera Fischer na novela
 
:: VOTAR ::
 
ENQUETE
O Programa do Ratinho está certo em exibir cenas de violência explícita, como a tortura de um garoto de 3 anos?
• SIM
• NÃO
 
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
CASO FALCÃO
Como evitar que a briga dos pais pela guarda do filho prejudique a criança?

EDIÇÕES
ANTERIORES

ESPECIAIS
MULTIMÍDIA
BATE PAPO
ASSINATURAS
EXPEDIENTE
PUBLICIDADE
FALE
CONOSCO
ASSINE A
NEWSLETTER

| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três