CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 MULTIMÍDIA
 SEÇÕES
 REPORTAGENS
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO
  SECULO
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

por Luciana Franca

Ney Braga
Ex-governador do Paraná morre sem realizar o sonho de ser vereador de sua cidade natal

Orlando Azevedo
Ney Braga: duas vezes governador do Paraná

O ex-governador do Paraná Ney Braga morreu na segunda-feira 16, em Curitiba, aos 83 anos, vítima de câncer ósseo. Nascido em Lapa, a 70 quilômetros de Curitiba, Ney Aminthas de Barros Braga estava internado no Hospital Santa Cruz há 13 dias.

“Ele foi um exemplo de homem público pela postura e respeito que sempre teve e, sem dúvida, foi o grande responsável pela modernização do Estado a partir dos anos 60”, elogiou o governador do Paraná Jaime Lerner (PFL). Ele decretou luto oficial de sete dias no Estado. Entre as realizações de Braga estão a Rodovia do Café, que liga Curitiba a Londrina, e a construção de hidrelétricas.

Major do Exército, Braga foi prefeito de Curitiba de 1954 a 1958 e governou o Paraná por duas vezes, de 1961 a 1965 e de 1979 a 1982. Ele foi também deputado federal entre 1958 e 1960 e senador, de 1967 a 1974. Entre 1965 e 1966, foi ministro da Agricultura e respondeu, entre 1974 e 1978, pelo Ministério da Educação e Cultura.

Seu último cargo público foi de presidente do conselho de administração da Copel (Companhia da Energia do Paraná), do qual se afastou em julho por motivos de saúde. “Ele disse que era um homem satisfeito com a vida que teve e deixa uma escola política”, declarou um de seus sete filhos, Caetano Rocha Braga.

Mas o ex-governador morreu sem realizar um sonho: ser vereador de sua cidade natal. O corpo de Braga foi sepultado com honras de chefe de Estado no Cemitério Municipal de Curitiba, ao lado da primeira esposa, com quem teve quatro filhos. Com a segunda mulher, Nice, teve mais três filhas.

Reuters
Canby: 35 anos dedicados às artes

Vincent Canby,
o articulista americano de cinema e teatro do The New York Times, morreu de câncer no domingo 15, aos 76 anos.

Canby começou a escrever sobre cinema para o jornal em 1965 e foi crítico sênior entre 1969 e 1993, antes de dedicar-se também ao teatro. Suas críticas eram publicadas aos domingos na seção Arts & Leisure. Em 35 anos de carreira, Canby analisou desde a nouvelle vague francesa até o surgimento do cinema independente norte-americano, passando pelo aparecimento do videocassete e das salas multiplex de exibição.

Antonio Ferrandis,
o ator espanhol morreu aos 79 anos na segunda-feira 16, em Madri, vítima de insuficiência respiratória.

Ferrandis atuou em mais de 100 longas-metragens, entre eles Volver a Empezar, filme estrangeiro ganhador do Oscar em 1979.

AP
Sirimavo enfarta depois de votar

Sirimavo Bandaranaike,
a primeira mulher da história a ser primeira-ministra, morreu de infarto, na terça-feira 10, logo depois de votar nas eleições parlamentares em Colombo, capital de Sri Lanka.

Aos 84 anos, Sirimavo ocupou o cargo três vezes e abandonou a vida pública em agosto, deixando o país nas mãos da filha, a presidente Chandrika Kumaratunga.

 

Horóscopo

ENQUETE
O que aconteceu com Marilena e Betânia que tiveram o carro esmagado por um contêiner foi:
Azar,
afinal perderam o carro e foram parar no hospital
Sorte, conseguiram sair vivas
Milagre, pois ninguém escaparia de um acidente assim
FÓRUM
O que está acontecendo
com o cantor
Roberto Carlos?

EDIÇÕES
ANTERIORES

ESPECIAIS
MULTIMÍDIA
BATE PAPO
ASSINATURAS
EXPEDIENTE
PUBLICIDADE
FALE
CONOSCO
ASSINE A
NEWSLETTER


| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três