CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 MULTIMÍDIA
 SEÇÕES
 REPORTAGENS
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO
  SECULO
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA


Passarelas

Modelo de gata borralheira
Aos 12 anos, Guiomar Mello fazia salgadinhos para ajudar a família em Brasília e, agora, aos 17, ganha até US$ 20 mil por trabalho na Europa

Cecília Maia

Felipe Barra
Entre fotografias e capas de revistas, sucesso no circuito europeu da moda

Do tempo em que ajudava a mãe a assar, fritar e vender salgadinhos para salvar a família da falência da fábrica de embalagens do pai, Guiomar Mello, 17 anos, acumulou histórias dignas de um conto de fadas até chegar às capas de revistas estrangeiras.

Nascida em Taguatinga, uma cidade satélite de Brasília, a jovem modelo teve uma infância abastada.Quando tinha 11 anos, um terremoto econômico sacudiu as estruturas. De uma hora para outra, eles estavam na miséria.

A família teve de se mudar da casa de três cômodos para um imóvel com um só quarto, na periferia, e Guiomar trocou a escola particular pela pública. “O mais difícil foi passar dias e dias comendo macarrão no alho e óleo. Era tudo o que tínhamos em casa”, relembra.

Os tempos, no entanto, mudaram. Guiomar, uma morena de 1,74m de altura, 53 quilos, 89cm de busto e quadril e 60 de cintura, deu a volta por cima e hoje faz sucesso na Europa como modelo. Em quase dois anos de carreira, ela expôs suas formas em cerca de 15 capas de publicações nacionais e estrangeiras. Por trabalho, ganha até US$ 20 mil.

Residente em Munique, na Alemanha, a garota é ligada à agência Ford. É de lá que Guiomar ajuda no orçamento doméstico familiar. Ela envia para o Brasil R$ 2 mil mensais. De empresário, o pai, Itamar Luiz, 56, virou funcionário de uma fábrica de embalagens, e ganhou um carro de presente da filha. Maria Sônia, a mãe, 39, parou de vender salgadinhos e cuida da casa e do irmão, Gustavo, 16, deficiente mental, agraciado com um aparelho de som de última geração. Os três continuam morando em Taguatinga, mas num apartamento alugado de três quartos. “Ainda tenho muita coisa pela frente”, afirma.

LAVAR E PASSAR Desde que começou a crise financeira da família, ela foi à luta. Tentou empregar-se em alguma empresa, sem sucesso. Estava com 12 anos. Resolveu então fazer sapatinhos de tricô para bebês. Vendia todos e se dividia entre as agulhas, as massas dos salgados, a escola e os afazeres domésticos, como lavar, passar e cozinhar. A única diversão era a de fazer poses em frente ao espelho. Essa mania a levou a procurar um concurso de beleza que viu num jornal. “Fui com minha mãe e meu pai e quase morri de vergonha. Era tudo uma picaretagem. Os organizadores foram parar na delegacia”, diz.

Meses depois fez uma nova tentativa, em um concurso para modelos num shopping da cidade. Nem acreditou quando foi escolhida. O prêmio era desfilar perante a multidão. “Eu estava em êxtase. Diziam que tirar sobrancelhas era dolorido. Me tiraram e eu nem senti dor. Foi uma noite de glória”, conta Guiomar, que no retorno para casa, encarou uma sessão de lavagem de roupa no tanque.

O terceiro concurso foi determinante na carreira. Escolhida entre 141 mil garotas de todo o País, mudou-se para São Paulo, onde começou a posar para fotos, contratada pela agência Elite. Em abril de 1999, seguiu para a Itália e, em seguida, para a Alemanha. Em terras germânicas, fechou um dos maiores contratos de sua carreira e tornou-se a protagonista da campanha da Wella internacional.

A transformação da gata borralheira em princesa foi marcada por fortes emoções. Viajar de avião de Brasília para São Paulo foi para Guiomar um momento inesquecível. “Tinha 12 anos e estava deslumbrada. Quando entrei no avião não resisti: agarrei as colegas e gritei de emoção por estar vendo a minha cidade lá de cima.” É do alto de uma carreira em pleno curso na Europa, que ela deverá fechar contratos na Suíça e França.

Aliás, Guiomar só tem olhos para os negócios, por enquanto. Namorados não estão nos planos. E fazer massas de salgadinhos, hoje, é uma diversão entre mãe e filha, para celebrar os poucos momentos que passam juntas. Afinal, cada uma mora num canto do planeta. “Consegui ajudar minha família como eu queria. Já sou uma vitoriosa, mas ainda tenho outras batalhas para vencer”, diz ela, que agora fala inglês, italiano e alemão.

Fotos: Reprodução
Guiomar Mello mora em Munique, na Alemanha(à esq.). À direita, a modelo emocionou-se quando se enxergou em um outdoor, em Marian Platz, no centro da cidade alemã

 

 

Leia Também

A hora de tirar

A segunda pátria
de Ana Paula

Cozinha em chamas

Crise superada

A hora da estrela

Modelo de
gata borralheira

O doutor está
na novela

A pobre menina rica

Peitos em evidência

Perry Salles:
Ex-marido de Vera Fischer supera depressão

“Eu estou
enxergando”

A primeira
tentação da tevê

A praia do tenente

Prata movida
à gemada

Horóscopo

ENQUETE
Você acha que Claudete Troiano passou Cátia Fonseca para trás na Record?
Sim
Não
FÓRUM
O que você acha de artistas que, apesar dos riscos, abusam das próteses de silicone?

EDIÇÕES
ANTERIORES

ESPECIAIS
MULTIMÍDIA
BATE PAPO
ASSINATURAS
EXPEDIENTE
PUBLICIDADE
FALE
CONOSCO
ASSINE A
NEWSLETTER


| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três