CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNACIONAIS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA


Teatro

A dentista sobe ao palco
Na faculdade de odontologia, Renata Melo descobriu o talento para a dança, foi em frente e criou Domésticas, sucesso teatral, que virou filme

Edwin Paladino

Silvana Garzaro

Não faltam talentos na família Melo, de Assis, interior de São Paulo. Enquanto Patrícia brilha como escritora de suspense, a bailarina Renata, 44 anos, volta ao teatro, até 3 de setembro, com a peça Domésticas, que escreveu, dirigiu e na qual também atua.

A montagem, que mistura teatro e dança, já foi vista em todas as capitais do País. Fez tanto sucesso em dois anos de apresentação que acabou virando filme, dirigido por Felipe Meirelles.

Domésticas, o filme, estréia no festival de Roterdã, na Holanda, em janeiro. No elenco, estão, além da própria Renata, Claudia Missura e Lena Roque, suas companheiras na peça. “O cotidiano das empregadas é um retrato social do nosso País”, diz Renata, que ouviu uma centena de domésticas para escrever seu roteiro.

A idéia do texto veio como uma espécie de homenagem a dona Eva, a empregada da família de Renata no interior: uma mulher forte, descendente de europeus, que ensinou a ela, quando menina, muito mais do que arrumar a cama e comportar-se à mesa. Humanismo e solidariedade, por exemplo.

Formada em odontologia pela Universidade de São Paulo, Renata começou a freqüentar aulas de dança no último ano da faculdade apenas para relaxar. Acabou descobrindo que tinha talento. Desde então, concilia consultório e palco com sucesso. E ainda faz preparação corporal de atores.

Atualmente trabalha com Fernanda Torres e Débora Bloch para a peça Duas Mulheres e um Cadáver, em cartaz no Teatro das Artes, no Rio de Janeiro. “Conheci o trabalho dela no espetáculo de dança Slices of Life e fiquei louca com sua performance. Ela é muito boa”, elogia Fernanda Torres. “Renata é sofisticadíssima e sensível”, completa Débora.

A bailarina vive sozinha em seu apartamento no bairro de Santa Cecília, em São Paulo, e diz que está muito bem assim. “Minha vida está tão agitada que nem penso em namorado ou filhos ”, brinca. Ela gosta de música e ouve de tudo. “Adorei o último show da Marisa Monte”, ilustra. Durante os próximos meses, ela terá menos tempo para relaxar, pois estará preparando Marisa Orth e Otávio Müller para o espetáculo A Megera Domada, de William Shakespeare, com direção de Mauro Mendonça Filho.

 

Leia Também

A independência
da estrela

Estrela das piscinas

Fivelinhas da fama

Célebres cabos eleitorais

A terapia em alta velocidade

A dentista
sobe ao palco

Clientela refinada

Um trio parada dura

O ataque continua

Chapeuzinho come
o lobo mau

Alexandre Pires
livre da culpa

Recesso maternal

Duelo de titãs

 



| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três