CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

Fábio Barreto

“Meu irmão teve inveja de mim”
Caçula dos Barreto, o diretor diz que Bruno Barreto ficou enciumado com a indicação de O Quatrilho para o Oscar e garante que a modelo Gisele Bündchen vai arrasar como estrela de seu novo filme

Paula Quental

Edu Lopes
“Pensei na Ana Paula Arósio para o novo filme. Mas voltei atrás. Quero algo novo. Com o grau de exposição na mídia que ela está tendo não dá”

Fábio Barreto, 43 anos, já conquistou reconhecimento internacional com o seu O Quatrilho, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro de 1996. O longa teve 7 milhões de espectadores em 48 países. Agora, o irmão mais novo de Bruno Barreto parte para uma empreitada que também deverá ter repercussão internacional: ele tenta fechar com a top model número um do mundo, a gaúcha Gisele Bündchen, a participação no seu novo filme, Jacobina, baseado no romance Videiras de Cristal, de Luiz Antônio de Assis Brasil.

Está tão confiante que anunciou no 28º Festival de Gramado, encerrado sábado 5, que a supermodelo deve ser mesmo a protagonista. Nos próximos dias, os dois se reúnem em São Paulo, para definir detalhes do contrato. Segundo ele, Gisele soube do projeto, a ser filmado no interior do Rio Grande do Sul, e o procurou. Separado recentemente da mulher, a atriz Dora Pellegrino, que já está escalada para o elenco do novo filme, e pai de Júlia, de 21 anos, e Mariana, de 11, Fábio reconhece os conflitos de trabalhar em família. Seus pais, Lucy e Luiz Carlos Barreto, são os produtores de cinema mais famosos do País desde os anos 60. E com o irmão primogênito, diretor do filme Bossa Nova, ele diz que sempre foi inevitável alguma disputa. Mas sempre acabam fazendo as pazes.

Como surgiu a idéia de convidar Gisele Bündchen para seu novo filme?
Quando conheci Gisele, eu pensei: poxa, essa menina leva todo o jeito da personagem central do meu novo filme. É uma paranormal que lidera uma comunidade espiritual onde tudo é produzido e dividido. Ela se acha enviada por Deus para salvar as pessoas e acredita na felicidade, na liberdade e na sensualidade. A história se passa há 130 anos, numa colônia alemã do Rio Grande do Sul. Quero explorar no filme a dualidade entre espírito e corpo. Às vezes o corpo nos leva para um lado e o espírito para o outro.

O que viu em Gisele que lembra a personagem? A sensualidade?
É. Também a coisa dela de menininha camponesa. Ela tem esse jeito. Apesar de viver no grand monde da moda, ela tem um jeito de menininha camponesa de Horizontina, onde nasceu. Gisele soube que eu faria esse filme e me procurou. Ela já conhecia a história, e eu propus fazer um teste. No fim de abril fui a Nova York encontrá-la. O teste foi feito no Mayflower Hotel, na minha suíte. Durou um dia inteiro e me satisfez muito. Fiz Gisele reproduzir duas cenas do filme. Uma, em que a personagem fala com Deus, e outra, em que conversa com um psiquiatra. As duas horas de fita gravadas foram suficientes. Ela é demais e vai arrasar. Tem um potencial muito grande.

Já está tudo acertado?
Se Deus quiser vai ser ela. Não está certo porque não assinamos ainda.

Quanto ela vai cobrar de cachê?
Isso eu não sei. É um assunto que eu não trato. Eu cuido da parte artística. Quero ter certeza de que terei dinheiro para pagar o cachê dela.

Ela tem prazo para te dar uma resposta?
Não, porque ainda tem tempo, ela vai poder participar agora no segundo semestre de todos os desfiles. O filme vai começar a ser rodado justamente na entressafra da moda.

O nome de Gisele ajudará na divulgação internacional do filme?
Não tenho a menor idéia. Não foi por isso que eu a convidei e sim porque vi nela a possibilidade de trazer o carisma que a personagem precisa. O fato de ela ser top model, modelo número 1 do mundo, na verdade para mim não interfere em nada. Tinha que ser bonita e com muito carisma.

Em que fase de produção está o filme?
Estou acabando o roteiro com o Leopoldo Serran, um roteiro que eu já trabalhei com o José Almino Arraes, irmão do Guel, e com a Ana Miranda. Estou em fase de captação, fechando uma parceria internacional. Não sei ainda se vai ser Sony ou Miramax. Devo começar as filmagens em dezembro ou no início de 2001.

Próximo >>



| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três