CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA


Ping-Pong

Ameaça Cucaracha

Cristian Avello Cancino

Juca Rodrigues
Foto: Divulgação
Benedito: reserva não

O medo da “mexicanização” da tevê brasileira motivou um grupo de autores de teledramaturgia a criar a Associação de Autores e Roteiristas de Televisão (ARTV). O primeiro objetivo é encaminhar um pedido no mínimo polêmico ao Ministério das Comunicações: criar uma reserva de mercado para novelas, seriados e minisséries brasileiras, estipulando uma cota horária semanal fixa para exibição. De acordo com o escritor Sérgio Marques, um dos conselheiros da ARTV, Lauro César Muniz, Aguinaldo Silva e Doc Comparato já aderiram à associação. Mas há quem critique a iniciativa, como Benedito Ruy Barbosa, autor de Terra Nostra.

A teledramaturgia brasileira precisa da reserva de mercado?
Não. Reserva de mercado a gente consegue pela qualidade. Não se pode criar espaço obrigatório para a mediocridade. Abrir mercado por decreto nunca deu certo.

A iniciativa não vai dar certo?
É uma bobagem.

Por que a novela mexicana funciona no Brasil?
Pela falta de compromisso com a realidade. Mostra só o amor, os conflitos, de uma forma alienada.

E a novela brasileira não?
A novela brasileira é atrevida. Fala de sexo e amor de forma mais realista, fugindo do maniqueísmo. Uma novela da Globo não pode ser vendida para um país onde as mulheres usam véu na cabeça.

 

 

 Cinema
Bilheteria
Livros
Sérgio Corrêa da Costa
Música
Televisão

Fique de olho

No Ibope
Teatro
Exposição


| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três