CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

Afro beat

Shoki Shoki
Femi Kuti dá seqüência ao gênero que o pai, Fela Kuti, criou nos anos 60

Ramiro Zwetsch

Foto: Divulgação
Divulgação
Femi: mais acessível que o pai

O nigeriano Fela Kuti foi uma espécie de James Brown africano. Na carreira que se estendeu até 1997 – quando faleceu vítima da Aids – ele lançou mais de 40 discos, disseminando pelo mundo afora sua batida hipnótica e dançante. Assim como o bom funk norte-americano, a música de Fela (batizada de afro-beat) oferece grande desempenho instrumental pontuado por fraseados de sopros. Sua popularidade era tanta que o músico viveu como um “don Juan”, repartindo-se entre 27 esposas ao mesmo tempo e deixando mais de 70 filhos. Um deles, Femi Kuti, acaba de revelar-se o primeiro herdeiro do suingue do pai.

Aos 37 anos, Femi lança seu primeiro álbum solo, Shoki Shoki. Para um país percussivo como o nosso, o disco cai como uma luva, pois a complexidade da percussão africana é tão fértil quanto a brasileira. Pendendo sempre para o funk, o afro-beat dialoga também com o jazz, mas cativa principalmente pelas peculiaridades musicais da África.

Assim como sua voz, o som de Femi Kuti remete sempre à lembrança do legado deixado por Fela. Como diferencial, Femi mostra-se econômico nas introduções instrumentais. Mais curtas, as músicas de Shoki Shoki chegam a ser até mesmo mais acessíveis para o mercado mundial. Cantando somente em inglês, Femi tem talento para alcançar projeção ainda maior do que o pai. Era mesmo hora do afro-beat ganhar desdobramentos sonoros para atravessar mais oceanos.

Sangue bom

 Cinema
Bilheteria
Livros
Sérgio Corrêa da Costa
Música
Televisão

Fique de olho

No Ibope
Teatro
Exposição


| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três