CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA


Tradicional ou feita com moderna tecnologia,
ela é sinônimo de feminilidade e volta
a salpicar o guarda-roupa da mulher

Texto e edição: Erica Benute - Arte: Gustavo Grandjean

Caro requinte

Sair de moda, elas nunca saíram. Mas há momentos em que seu uso torna-se mais freqüente. Sofisticadas rendas francesas, tradicionais rendas nordestinas ou moderníssimas rendas tecnológicas voltam a salpicar aqui e ali o universo da mulher. “Vivemos um momento em que tudo o que é muito feminino está em alta. As rendas, como sinônimo disso, vêm coroar essa estética da moda”, diz o estilista Walter Rodrigues. Ele cita as espanholas com suas mantilhas rendadas na cabeça como a representação máxima desse imaginário. A boa notícia é que hoje as rendas estão mais acessíveis. As que são feitas em elastano, com efeito elástico, cabem muito bem durante o dia. Já as mais delicadas, em puro algodão ou seda, requerem situações sofisticadas. Mas um outro aviso que vem do estilista diz respeito à sua própria opção: “Não uso rendas em minhas coleções, apenas em modelos feitos sob encomenda”. O cuidado é porque sua aplicação tem de ser cuidadosa – “em geral, hand-made” – o que encarece a peça.

Clique nas rendas para ver as fotos

 

 

 



| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três