CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

Televisão

O charme da ex-lolita
Monique Curi, que estreou na tevê aos 10 anos, reaparece em Laços de Família depois de recuperar a forma com uma lipoescultura

Por Viviane Rosalem

Leandro Pimentel
"Interrompi várias vezes minha carreira, mas não me arrependo de nada. Em breve, voltarei a fazer outras pausas pois quero ser mãe logo”, diz Monique Curi

O rosto permanece sardento e os cabelos, compridos. Quem assiste aos capítulos de Laços de Família, da TV Globo, se surpreende ao ver a atriz Monique Curi interpretando a secretária Antônia, que trabalha na clínica da personagem de Vera Fischer.

Aos 32 anos, ela apresenta o mesmo charme de quando estreou na tevê, em 1978, no seriado Malu Mulher, selecionada entre 600 crianças para contracenar com Regina Duarte. Monique retorna ao vídeo depois de um jejum de quatro anos – sua última aparição foi em 1996, na novela das seis História de Amor. Desde então, ela se dedicou ao teatro, viajando em turnê pelo Brasil com a peça Lalo e Lia – A Divertida Comédia da Vida a Dois.

Decidida a voltar à tevê, ela ligou para o autor Manoel Carlos, com quem já trabalhara em quatro novelas, e ganhou o emprego. “Na tevê, existem as panelinhas e, assim como ele gosta de mim, o Gilberto Braga simpatiza com outras atrizes e os demais autores têm suas preferências”, diz ela. Embora ainda não enfrente o problema, ela sabe que os papéis se tornam mais raros à medida em que a idade chega. “Não posso mais fazer uma menina de 20 anos, mas uma mulher de 26, sim”, conforma-se a atriz, que tem contrato com a Globo até o final do folhetim.

Há seis meses, ela prestou vestibular para Comunicação Social da Faculdade Hélio Alonso, no Rio, e cursa o primeiro período de jornalismo. Mas a bagagem acumulada em 22 anos de profissão lhe será útil na nova empreitada. A atriz planeja se tornar repórter, produtora ou apresentadora de tevê. “A carreira de atriz é inconstante. Quero ter um trabalho alternativo”, explica.

Monique estreou na tevê aos 10 anos no Rio de Janeiro, mas aos 17 voltou para Belo Horizonte, sua cidade natal, em companhia dos pais, Herta Waller Curi e Dib Curi Filho. “Nessa época, me cansei da correria, das responsabilidades da profissão e decidi parar com tudo”, lembra. Prestou vestibular para psicologia, curso que não chegou a concluir. Durante o afastamento voluntário, recebeu um convite do diretor Marcos Paulo para integrar o elenco da novela O Outro, em 1987. Mas recusou a proposta.

Ela só voltaria a atuar em 1991, quando de novo mudou-se para o Rio. Seu retorno foi na novela das seis, Felicidade, de Manoel Carlos. “É sempre difícil recomeçar, mas não me arrependo de ter dado vários intervalos na minha carreira”, diz. Ela acumula em seu currículo atuações nas novelas Os Gigantes, Baila Comigo, Sol de Verão e Transas e Caretas, quando foi dirigida pela primeira vez por Ricardo Waddington. “Quinze anos se passaram e ela continua carismática e muito disciplinada”, diz Waddington, que a dirige em Laços de Família.

O início das gravações da novela das oito coincidiu com a recuperação da atriz, que há três meses se submeteu a uma lipoescultura, realizada pelo cirurgião plástico Herbert Lamblet. Nas sete horas em que permaneceu na mesa de cirurgia, Monique tirou quatro litros de gordura de seu corpo, o equivalente a dois quilos e meio. “Sempre fiz ginástica, mas tinha uma gordurinha na barriga, na cintura e na coxa”, diz ela, que se exercita até três horas diariamente. Os cuidados também se estenderam ao rosto. Em dezembro, Monique recorreu a um tratamento à base de ácido glicólico para suavizar rugas de expressão e clarear a pele manchada pelo excesso de sol a que se expôs no período em que esteve afastada da tevê.

A atriz afirma que só fará outra pausa na carreira para ser mãe. Há um ano, ela namora o empresário Leonardo Mattos, dono do restaurante Temperarte, em Copacabana, e não vê a hora de casar e ter filhos. “Queria uns três, mas como já passei dos trinta anos, não sei se vou conseguir”, comenta. Enquanto não sobe ao altar, a atriz mora com os pais num apartamento em Copacabana. “Eles são meus fãs”, orgulha-se.

Leia Também

A Marisa Monte que o público não vê

O olhar do bad boy

A guerra dos Mesquita

No tom de Chico César

O nosso doutor gene

Rei não paga indenização

Roberto Carlos homenageia Maria Rita

O sabor do sucesso

O charme da ex-lolita

O peso de ser ex-galã

Um novo maníaco?

Fernanda, a deusa expiatória

Sem papas na língua

David Uip, o médico celebridade

Corpos em evidência

Reduto para a gargalhada



| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três