CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK
 BUSCA

Animação

O Caminho para El Dorado
Humor absolve imbroglio histórico de desenho da Dream Works

Neusa Barbosa

Divulgação
Os personagens Túlio e Miguel: aventura e muita risada na terra dos astecas
Ninguém vai a um desenho animado com espírito de quem assiste a uma aula de história. Ainda bem, porque algumas liberdades com os fatos reais arrepiam os cabelos de qualquer professor. Mas, se o caso é diversão de férias, O Caminho de El Dorado, da Dream Works, cumpre o que promete.

Com um visual multicolorido para recriar a América pré-colombiana, o filme convoca uma dupla de heróis tão malandros quanto irresistíveis, os aventureiros espanhóis Túlio (voz de Kevin Kline) e Miguel (Kenneth Branagh). Depois de embarcar como clandestinos num navio que ruma para o novo continente, eles caem no mar para salvar Altivo, o tinhoso cavalo do conquistador Cortês. Acabam numa praia, de onde descobrem o caminho para a lendária El Dorado, a cidade do ouro que todos os europeus procuram.

Por causa da companhia do cavalo, animal desconhecido pelos astecas, e também pela falsa impressão de que são capazes de controlar a erupção
de um vulcão, os dois malandros são confundidos com deuses. Ganham casa, comida e, de quebra, uma sinuosa companhia feminina, a nativa Chel.

Chel tem mais afinidades com os mentirosos do que se imagina. Cansada da vidinha na tribo, a moça está a fim de dar o fora. Assim, ajuda os falsos deuses a armar uma jogada que permitirá a todos partirem num barco cheio de tesouros. Antes que a operação se cumpra, porém, eles vão se divertir
de montão. Uma das seqüências mais hilariantes está num jogo de bola ao
arco com toda a cara de ser a origem do basquete. Aí, Túlio e Miguel conseguem dar um show depois da providencial ajuda de um tatu que se faz de bola e entra no arco toda vez que eles querem.

Nesta descontraída celebração da malandragem latina – na visão dos anglo-saxões, pelo menos – não faltam os momentos de tensão quando, finalmente, os impiedosos colonizadores de Cortês seguem os passos de Miguel e Túlio. Aí, o filme transborda sua dose de adrenalina e cumpre o ciclo de toda boa aventura.

Divertido samba do espanhol doido

 Cinema
Bilheteria
Livros
Ogum, o Rei de Muitas Faces
Mestre King
Música
Televisão

Fique de olho

No Ibope
Teatro


| ISTOÉ ONLINE | ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA |ÁGUA NA BOCA |EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE |
© Copyright 1996/2000 Editora Três