CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK 
 BUSCA
 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 Cinema
Gladiador
Russell Crowe
Livre para voar
Através da Janela
Bilheteria
Exposição
Negro: uma raça e muitas vozes
Livros
Viagem à semente
Procópio e Boal: vidas sobre o palco
Best-seller
Città di Roma
Música
Memórias, Crônicas e Declarações de Amor
Nação Nordestina
Zé Ramalho
Bloco Vomit faz samba punk
Hits
Teatro
Il Guarany
Televisão
Retrato Falado
O prêmio dos contrastes
Eliana e Alegria
Cássio Scapin
Fique de olho
No Ibope
Charlote Pink

Ping-pong

Cássio Scapin

Lilian Amarante

Alexandre Tokitaka
Cássio será o marujo da série Capitão Sardinha

A partir de julho, a Rede Globo coloca no ar uma nova programação infantil, mais educativa e, provavelmente, mais forte para frear a queda
de audiência do horário. Uma das principais atrações será a série Capitão Sardinha, com Stênio Garcia e Cássio Scapin, o Nino do Castelo Rá Tim Bum.

Já está certa a sua contratação?
Não. Falta decidir salário.

Mas o projeto é atraente?
Muito. Com ele continuo trabalhando numa linha infantil mais educativa e menos comercial.

Como será o programa?
Será diário, de 15 minutos e se passará num submarino. O capitão Sardinha será o Stênio Garcia e eu o Marujo Pimenta. O programa mostrará a fauna e flora marinhas, o que eu acho muito bacana.

Preocupa-se com o aspecto educativo do seu trabalho?
É uma preocupação que eu tenho com qualquer trabalho. Quando um assunto ou personagem é muito bobo ou frívolo, sem relevância, não faço.

Você aceitaria convite para um programa infantil estritamente comercial?
Não. Precisamos entender que ter um bom mercado é ter um bom produto cultural. Quando entendermos a importância de trabalhar com a formação
das pessoas, as coisas vão mudar.

Sente que a Globo tem a intenção dessa mudança?
Vejo, nas reuniões, que existem pessoas lá dispostas a mudar o perfil da programação. Tanto que estão me pedindo para ler Jorge Amado e Fernando Pessoa.

Acha que a Globo consegue reverter a crise de audiência?
A Globo pode reverter essa situação. De qualquer forma, precisa tomar uma atitude e atinar para a qualidade. É um veículo muito poderoso e precisa fazer as coisas com responsabilidade.

© Copyright 1996/2000 Editora Três