CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 INTERNET
 CLICK 
 BUSCA
 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 Cinema
Gladiador
Russell Crowe
Livre para voar
Através da Janela
Bilheteria
Exposição
Negro: uma raça e muitas vozes
Livros
Viagem à semente
Procópio e Boal: vidas sobre o palco
Best-seller
Città di Roma
Música
Memórias, Crônicas e Declarações de Amor
Nação Nordestina
Zé Ramalho
Bloco Vomit faz samba punk
Hits
Teatro
Il Guarany
Televisão
Retrato Falado
O prêmio dos contrastes
Eliana e Alegria
Cássio Scapin
Fique de olho
No Ibope
Charlote Pink

Infantil

Eliana e Alegria
Programa cresce, aparece e encosta nos matinais da Globo e do SBT

Paula Alzugaray

Divulgação
Eliana: malabarismo

Enquanto a programação infantil matinal da Globo espera pela operação resgate de sua crise de audiência (leia ping pong ao lado), Eliana corre por fora, conquistando mais e mais espectadores. Nas últimas semanas Eliana e Alegria (Rede Record, segunda a sexta, 9h) tem conseguido um feito inédito: alternar com as concorrentes a preferência do horário e, em alguns momentos, deixar a Rede Globo em terceiro lugar.

Pokémon foi o primeiro e, por que não reconhecer, principal aliado de Eliana na conquista de seu lugar ao sol. Graças ao desenho, Eliana e Alegria foi o infantil que mais cresceu em 1999, dando à apresentadora a visibilidade que precisava para mostrar seu diferencial. Por exemplo, um clima “caseiro” e espontâneo que – no caso das concorrentes – já se perdeu há muito tempo.

Ela vende uma imagem “pedagogicamente correta” – com quadros de culinária, trabalhos manuais, dicas sobre nutrição e meio ambiente –, mas às vezes suas pautas erram o alvo. Foi o que aconteceu recentemente em um teatrinho de bonecos, que deixou de seduzir a criançada de 7 anos que estava na platéia ao escolher como assunto a aeróbica de Jane Fonda.

Fora estes desajustes, Eliana consegue instigar a curiosidade dos baixinhos quando parte, literalmente, para os malabarismos. Já deitou-se sob um elefante e andou de carro conduzida por um mágico vendado – peripécia que lhe rendeu 13 pontos no Ibope.

Ganhando terreno

© Copyright 1996/2000 Editora Três