CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 CLICK 

 BUSCA

 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 

  DINHEIRO PLANETA ISTOÉ
 
 

 



Tércio Ferreira
Ex-campeão de tênis e médico veterinário, o irmão caçula da família de tenistas Ferreira morre em São Paulo, aos 50 anos

Por Cesar Taylor

Arquivo Pessoal
O ex-campeão Tércio Ferreira: dinastia de tenistas

O médico veterinário Tércio Ferreira teve por quem puxar. Campeão brasileiro de duplas masculinas e de duplas mistas de tênis em 1964, Tércio fazia parte de uma família de longa tradição no esporte. Irmão mais jovem de três homens e duas mulheres, ele e seus irmãos conquistaram para a família Ferreira nada menos que 32 títulos de campeão brasileiro, em simples, duplas e duplas mistas. A tradição foi iniciada pelos pais em 1956, no Clube Pinheiros, em São Paulo. “Eram tempos em que o tênis ainda não estava profissionalizado como hoje, em que o jovem começa a jogar e quer logo ganhar dinheiro”, afirma a psicóloga Rosana Ferreira, 45 anos, irmã de Tércio e vice-campeã brasileira de duplas de 1970. Tércio também se aventurou por outros esportes. Aos 7 anos, foi vice-campeão paulista de salto ornamental e, aos 12, já era o quinto colocado no ranking paulista de adultos da modalidade. No tênis, começou a jogar aos 6 anos, em 1956, e conquistou títulos como o de campeão brasileiro de duplas masculino e de duplas mistas, em 1969. “Como irmão mais novo, ele era o mais moleque, só falava besteira o tempo todo”, brinca a irmã. Tércio morreu na segunda-feira 1º, em São Paulo, de infarto, aos 50 anos. Deixa as filhas Andrea e as gêmeas Viviam e Alessandra. Seu corpo foi sepultado no cemitério São Paulo, na terça-feira 2.

Arquivo Pessoal
O ator Douglas Fairbanks Jr.: amigo de reis

Douglas Fairbanks Jr.
Ator, produtor, empresário e filho do mais famoso ator do cinema mudo de Hollywood, morreu no domingo 7, aos 90 anos, de causa não divulgada.

Entre os 75 filmes que ele estrelou estão Mocidade Audaciosa (1929), no qual foi dirigido por Frank Capra. Seu maior sucesso, no entanto, foi Simbad, o Marujo (1947). Condedorado “sir” pelo rei britânico George VI, era freqüentador da
casa real e amigo da Rainha Elizabeth e seu marido, Philip. Casou aos 19 anos com a atriz Joan Crawford, de quem se divorciou quatro anos depois. Deixa três filhas.

 

Gino Bartali
Ciclista que é considerado herói nacional na Itália, morreu em Florença na sexta-feira 5, de ataque cardíaco, aos 85 anos.

Entre suas 170 vitórias, em duas décadas de carreira, está a Volta da França
de 1948. Historiadores avaliam que essa vitória foi responsável pela união dos italianos,
que estavam à beira de uma guerra civil após provocações entre comunistas e conservadores e deixaram rusgas de lado para celebrar seu campeão. Deixa sua mulher, Adriana, dois filhos e uma filha.

Henry Laskau
Fugitivo de um campo nazista de trabalhos forçados e ex-campeão norte-americano de marcha olímpica, morreu no domingo 7, aos 83 anos.

Ele sofria há vários anos do mal de Alzheimer. Laskau venceu 42 títulos nacionais, foi dono de cinco recordes e participou de três Olimpíadas. Nascido em Berlim, na Alemanha, ele participava de uma equipe judia de corrida de meia distância quando foi aprisionado por soldados do Terceiro Reich. Três meses depois, com a conivência de um guarda, ele fugiu para a França, depois Cuba e Estados Unidos. Deixa a mulher, Hilde.

 


Copyright 1996/2000 Editora Três