CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 CLICK 

 BUSCA

 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 

  DINHEIRO PLANETA ISTOÉ
 
 

 

Capa

Em busca do be-a-bá
Preocupada com a educação e a socialização de Sasha, Xuxa põe a filha na natação e visita nove escolas para escolher o maternal, que começa em agosto

Viviane Rosalem

André Durão
A apresentadora achou a escola grande demais para Sasha, e a academia só aceita alunos a partir dos 3 anos

Às vésperas de completar 2 anos, Sasha Meneghel Szafir ensaia os primeiros passos como qualquer criança de sua idade. O primeiro deles foi dado há duas semanas, quando a filha de Xuxa foi matriculada no curso de natação da academia Estação do Corpo, na Lagoa Rodrigo de Freitas, coordenado pela nadadora Patrícia Amorim, 31 anos, detentora de 29 recordes sul-americanos. Um mais importante acontecerá em agosto, quando Sasha ingressará no maternal de uma escolinha. Como todas as mães, Xuxa, 37 anos, se encarregou pessoalmente da tarefa de escolher a melhor escola para a filha. Nas últimas semanas, visitou nove colégios. Está indecisa entre dois. Mas o esforço para proporcionar à Sasha uma rotina normal não pára por aí. A apresentadora também está em busca de aulas de balé para crianças.

O pai, Luciano Szafir, 31 anos, apóia a decisão da mãe. “Sasha precisa ter contato com outras crianças”, sustenta. A intenção dos pais é estimular a independência da filha, apesar de a menina ainda utilizar chupeta para dormir, mamadeira e fralda. A madrinha, a empresária Marlene Mattos, 48 anos, incentiva a ida da afilhada para o ambiente escolar. “Sasha vai se socializar, desenhar e brincar”, diz. Quando fizer 4 anos, deverá ser transferida para a Escola Americana, Britânica ou Corcovado, diz Marlene. Nas três, o ensino é bilíngüe. Mas essa não seria a única vantagem. Ali estudam nove a cada dez filhos de celebridades. “Convivendo com filhos de pessoas conhecidas, ela se sentirá o mais próximo possível do normal”, diz a empresária.

Ao que tudo indica, Sasha não terá dificuldades em se adaptar à nova rotina. Em uma das visitas às escolas, a menina se sentiu à vontade no playground. “Ela gostou tanto que chegou a dizer ‘tchau, mamãe’”, conta Marlene. Szafir também já foi conhecer as escolas indicadas por Xuxa, em horários diferentes. Suas maiores preocupações dizem respeito a ensino, segurança, limpeza e brinquedos. “Compete aos pais a escolha da melhor escola para os filhos. Mas se o meu irmão quiser tirar dúvidas, podemos conversar”, opina Priscila Szafir, tia de Sasha. “Luciano nunca tocou no assunto, mas acho bárbara a opção pela Escola Americana. Meus outros netos estudam lá”, concorda a avó paterna Beth Szafir. Alguns hábitos serão mantidos. Está decidido, por exemplo, que ela contará com sua equipe de seguranças na escola. “Andar com eles faz parte de sua vida”, justifica Marlene. Além disso, a babá da menina, Mariazinha, ficará de plantão, para eventualidades. Especialistas aplaudem o esforço pela socialização, mas consideram esse ponto um problema: “É contraditório. A escola vira prisão. Se não considera nenhum colégio seguro para a filha, a saída talvez seja deixar o País”, acredita o psicanalista Jorge Forbes, da Escola Brasileira de Psicanálise.

Uma das melhores amigas de Xuxa, a ex-paquita Andréa Faria Sorvetão, 28 anos, mãe de Giovanna, de 2 anos, afilhada da apresentadora, confirma as preocupações da comadre para socializar Sasha. “Ela vive me perguntando se a Giovanna é como a Sasha, do tipo possessiva, que não deixa ninguém pegar nos brinquedos dela”, conta Andréa. “Ela quer muito que Sasha conviva com outras crianças.” Foi pensando nisso que Xuxa aceitou a sugestão da coordenadora de natação da Estação do Corpo, Patrícia Amorim, e transferiu as aulas particulares que a menina vinha tendo em casa, desde os seis meses, para a academia. Na Casa Rosa, ela nadava na piscina de seu quarto, sob a orientação de uma das professoras subordinadas à Patrícia, Ester Lemos.

Próximo >>

 


Copyright 1996/2000 Editora Três