CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS
 CLICK 

 BUSCA

 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 

  DINHEIRO PLANETA ISTOÉ
 
 

 

Revelação

Uma arte na metrópole
Estudante de letras e ex-modelo, a gaúcha Laura Wie, rosto brasileiro do People+Arts, é a nova contratada da Rede Cultura para apresentar o programa Metrópolis

Marcelo Zanini

Julio Vilela
Laura na USP, onde cursa o quarto ano de Letras, habilitação em Inglês: um livro publicado

Em meados de abril, Laura Wie pisou os estúdios da Rede Cultura, em São Paulo, pela primeira vez. Era o foco das atenções. Dos técnicos aos diretores da emissora, todos observavam como ela caminhava. Laura não sabia, mas seu teste como futura apresentadora de um dos mais nobres programas da emissora, o Metrópolis, já começara. “Estavam observando minha postura e minha maneira de caminhar, que é importante para o programa”, diz Laura. Testes de câmera realizados e, dias depois, no segundo encontro com a diretoria da Cultura, foi batido o martelo. Entre as 14 candidatas à vaga, Laura foi a escolhida. Na quinta-feira 27, a gaúcha de 33 anos assinou contrato de um ano para substituir Lorena Calábria, que esteve à frente do Metrópolis nos últimos sete anos. Sua estréia será nessa segunda-feira 8.

Laura acumulará a nova função na emissora com seu antigo trabalho de apresentação de vinhetas e reportagens do canal por assinatura People + Arts. Laura trabalha no P+A há mais de dois anos e é considerada o rosto brasileiro no canal. Foi justamente assistindo-a no canal pago que o diretor de jornalismo Marco Antônio Coelho Filho pensou em contratá-la. “Ela tem tudo a ver com o Metrópolis”, admite ele, que pretende revitalizar o programa com esta mudança. “Eles me liberaram para a Cultura e achei isso ótimo porque será complemento ao meu trabalho”, diz. A diferença entre os dois empregos está na forma de apresentação. Enquanto no P+A a ex-modelo tem de viajar quatro dias por mês a Miami para gravar nos estúdios do canal todas as suas inserções, na Cultura ela fará a apresentação ao vivo por 30 minutos todas as noites. “Estou ansiosa mas ainda não deu tempo de ficar nervosa”, brinca. A solução para os dias em que Laura se ausentar do Brasil será revezamento na apresentação do Metrópolis com jornalistas da própria emissora. “Laura é uma grande profissional e sua beleza física só é um complemento”, afirma Jesus Rodriguez, diretor de criação da Discovery Networks América Latina, que administra o P+A.

Descendente de alemães, Laura nasceu em Porto Alegre. Loira, olhos azuis, 1,75m de altura, tornou-se modelo aos 15 anos. Aos 18, quando acabara de entrar na faculdade de Letras, as passarelas a fizeram trocar sua cidade pela metrópole paulistana. Passou a viajar o mundo todo como modelo, mas sentia-se mal por ter largado os estudos. Durante a primeira viagem internacional, Laura escolheu a Alemanha para fazer um curso de alemão no Instituto Goethe. Determinada, a modelo chegou até a recusar trabalhos em Milão, um dos centros da moda mundial, para morar em Londres, onde pôde aperfeiçoar o inglês. “Conheço Laura há dez anos e ela sempre foi muito profissional, além de competente e culta”, elogia Ina Sinisgalli, diretora da Ford Celebrities, da qual Laura é ainda contratada.

Casada há quatro anos com o administrador de imóveis Marcello de Lucca, 36 anos, Laura conta que encontrou sua paixão. A apresentadora conheceu o marido numa academia do bairro de Moema, em São Paulo, e três meses depois já estava morando com ele. “Marcello é um grande incentivador da minha vida”, suspira. Foi com ele que teve Sophia, sua filha de um ano e cinco meses.

O projeto universidade foi retomado há quatro anos. Laura cursa Letras, com habilitação em Língua Inglesa, na Universidade de São Paulo (USP). Foi ali que, em 1998, conseguiu ter um livro publicado. A Expressão da Natureza na Voz de Nossos Poetas é uma antologia poética, que reúne nomes como Mário Quintana, Cecília Meirelles e João Cabral de Mello Neto, e foi escrito a partir de uma matéria de seu curso. “Fiz uma compilação de poemas que falam sobre natureza. O prefácio foi dedicado à minha filha porque ela nasceu um mês antes de terminá-lo”, diz. E completa: “Quer expressão maior da natureza do que a maternidade?” A nota final foi 9.

 


Copyright 1996/2000 Editora Três