CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 EXCLUSIVAS

 BUSCA

 ASSINE O BOLETIM
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ASSINATURAS
 FALE CONOSCO
 EXPEDIENTE
 PUBLICIDADE

 

  DINHEIRO PLANETA ISTOÉ
 

 

Viagens em busca de notícias

Luciano Suassuna
Diretor de Redação

Leandro Pimentel
Patricia Pillar e Viviane:
entrevista em duas etapas

Os repórteres da sucursal de Gente no Rio de Janeiro passaram a última semana levantando notícias fora da cidade. Na terça-feira 11, Rosângela Honor embarcou para Miami para entrevistar a cantora cubana Gloria Stefan. Dois dias depois, Viviane Rosalem e o fotógrafo Leandro Pimentel também deixaram o Rio. Viajaram para Recife e, de lá, enfrentaram mais quatro horas de estrada para chegar à Fazenda Nova, no agreste pernambucano, onde desde 1968 é encenado o Auto da Paixão de Cristo. Além de escrever o perfil de uma das estrelas da música internacional, Rosângela recebera a missão de questionar a cantora cubana sobre o acidente de trânsito no qual Alexandre Pires, com quem Gloria Stefan fez uma recente parceria, é acusado de homicídio. Viviane deveria tentar entrevistar a irredutível Patrícia Pillar.

Na volta à sucursal, ambas haviam transposto alguns obstáculos, mas retornaram com o material na mão. Durante a entrevista com Gloria, por exemplo, uma de suas produtoras fazia contagem regressiva com os dedos para sinalizar o término da conversa, que deveria ter cronometrados 20 minutos. Ao final, Rosângela recebeu uma foto autografada, parte do pacote de simpatias da produção de Gloria Stefan. Para se aproximar de Patrícia, Viviane assistiu a dois ensaios e à estréia da encenação da Paixão. Conseguiu a primeira conversa com a atriz, às 23 hs de sexta-feira 14, mas só concluiria a entrevista no domingo 16, minutos antes de embarcar de volta para o Rio. Foi a primeira entrevista dela, desde que assumiu o badalado romance com o ex-ministro Ciro Gomes. “Ela é solícita e impõe limites sutilmente”, diz Viviane.

Em São Paulo, o repórter César Guerrero, especialista em assuntos policiais, foi obrigado a vestir um avental para fazer uma reportagem num berçário. Explica-se: César descobriu a policial campeã de partos na cidade e foi à maternidade para onde ela encaminha os bebês que ajuda a nascer.

 


Copyright 1996/2000 Editora Três