Logo
 
Teatro
Em boa companhia
A mostra Companhia dos Atores em Repertório reúne os espetáculos Melodrama (1995) e Ensaio Hamlet (2004)
 
Divulgação
A atriz Malu Galli em Ensaio.Hamlet, ousada
releitura de Shakespeare

A Companhia dos Atores foi criada em 1988 por um grupo disposto a sacudir a mesmice de um teatro dividido entre caça-níqueis e derivados do besteirol. Passados 18 anos, a trupe dirigida por Enrique Diaz ainda se confirma como exceção da cena carioca, sacudindo os palcos brasileiros e reverenciada em turnês mundo afora. A mostra Companhia dos Atores em Repertório reúne os espetáculos Melodrama (1995) e Ensaio.Hamlet (2004), a partir da sexta 14, no Rio, e comprova parte da razão desse prestígio. Enquanto Melodrama evoca as diferentes interpretações de um gênero que emociona platéias, o ousado Ensaio.Hamlet desconstrói a dramaturgia de Shakespeare em busca de uma linguagem própria. “São dois espetáculos muito fortes que dão uma boa amostra do nosso trabalho”, afirma Diaz.

A longevidade da Companhia é explicada pelo diretor. “Foi um encontro que fez muito bem a todos nós. Somos todos um pouco autores e proprietários do projeto, e isso nos dá autoridade e maturidade compensadoras”, afirma ele, um dos oito integrantes do grupo. Um pouco mais dessa história está no livro na companhia dos atores (com letras minúsculas mesmo), que será lançado em 7 de agosto, no Rio.

Teatro do Jockey – r. Mario Ribeiro, 410, Rio,
tel. (21) 2540-9853. Até 27/8.