Saúde  
A causa de dentes sensíveis
O consumo diário de mais de um litro de bebidas
como refrigerantes acelera a hipersensibilidade
dentinária. Como controlá-la?
Eduardo M.B.Tinoco*
Leandro Pimentel
Tinoco: bebidas com baixo pH causam erosão do esmalte
Há muita gente que se arrepia de dor só de pensar em levar um sorvete à boca ou beber um refrigerante ou um suco de frutas. São os portadores da chamada hipersensibilidade dentinária. Quem padece com isso sabe a dificuldade que é ingerir qualquer coisa fria e a dor provocada pelo simples ato de escovar os dentes.

Conhecida mais comumente como “dente sensível”, essa sensação dolorosa é um problema de múltiplas causas, mas, felizmente, também de muitas soluções. A dor, geralmente aguda, não é sempre constante; pode aparecer e desaparecer. Essa inconstância pode, muitas vezes, camuflar o problema, levando a pessoa a acreditar que já está curada.

Para entender o problema da hipersensibilidade, é preciso saber um pouco da anatomia do dente. A parte que fica à mostra é chamada de coroa. Ela é recoberta pelo esmalte, que isola o dente de agressões externas, que podem ser térmicas ou tácteis, por exemplo. A parte submersa na gengiva é a raiz, que é recoberta por uma camada de cemento. Sob o cemento e o esmalte, encontra-se a dentina, uma estrutura formada microscopicamente por túbulos que vão até a polpa do dente, levando os estímulos através de terminações nervosas. O esmalte é a estrutura mais dura do nosso corpo, já a dentina é composta de material orgânico e, apesar de ser dura e parecer sólida, na verdade, possui poros microscópicos e, por isso mesmo, está muito mais sujeita às agressões.

Na hipersensibilidade dentinária, ocorre uma exposição da dentina ao meio externo, devido ao desgaste do esmalte e/ou do cemento, causando uma dor aguda quando se ingere bebidas e alimentos frios ou ácidos. Além de atrapalhar a alimentação, o problema pode impedir a manutenção dos hábitos de higiene bucal, pois o simples toque durante a escovação do dente provoca dor exacerbada.

A ingestão de refrigerantes, isotônicos e outras bebidas ácidas, de baixo pH, pode causar a erosão ácida do esmalte ou da dentina e expor os túbulos dentinários, levando à hipersensibilidade. O consumo diário de mais de um litro dessas bebidas também pode acelerar significativamente a sensibilidade dos dentes, mas este é um hábito crescente que preocupa a Organização Mundial de Saúde (OMS). No Brasil, um terço da população adulta (principalmente entre 30 e 45 anos) sofre com dentes sensíveis.

Em casos de duvida é importante que haja um diagnóstico diferencial por parte de um dentista para que a hipersensibilidade dentinaria nao seja confundida com cárie ou fratura dentária.

A saúde bucal está diretamente ligada à qualidade de vida do indivíduo. A melhor maneira de prevenir a hipersensibilidade dentinária é manter uma boa higiene oral – utilizando uma técnica de escovação correta – e evitar o consumo exagerado de alimentos e bebidas extremamente ácidas. O tratamento também é simples, mas requer força de vontade. Uma dieta alimentar balanceada e o uso de flúor e de cremes dentais à base de estrôncio ou potássio são os cuidados mais indicados.

O acesso à informação é essencial para a saúde bucal do brasileiro. Prevenir e tratar a hipersensibilidade dentinária são medidas simples que melhoram a qualidade de vida. Procure seu dentista e cuide-se!

* Eduardo M.B.Tinoco é PhD, cirurgião-dentista e professor adjunto da UERJ/UNIGRANRIO

 
Pílulas
 

» A onda de clareamento dentário também está entre as causas do aumento da hipersensibilidade dentinária na população

» Ainda que temporária nesse caso, a hipersensibilidade é um efeito colateral do tratamento de clareamento dental. O agente clareador provoca reação nos dentes, diferente da erosão definitiva
causada pelas bebidas de baixo pH. Pastas dessensibilizantes antes e durante o tratamento
reduzem o risco do problema

» Evitar bebidas como refrigerantes, isotônicos e frutas cítricas. Enxagües e aplicação de flúor, cremes dentais à base de cloreto de estrôncio e nitrato de potássio são os tratamentos mais indicados