Reportagens  
“Não quero mais dinheiro e
sim mais conteúdo, mais cultura para minha vida”, diz ela, que
está em negociação com a
Record para renovar o contrato que termina em setembro
• • •
Capa
A aluna supera o professor

Após uma bem-sucedida mudança dos programas infantis
para uma atração para a família, Eliana leva a Record à vice-liderança vencendo o primeiro patrão, Silvio Santos, diz que sofre pressão da família para ter um filho e conta que passou
a assistir futebol por causa do marido
texto Jonas Furtado
fotos Edu Lopes
 Envie esta matéria para um amigo
“O produto que Eliana apresenta é bom”, reconhece Luiz Bento,
que é diretor do programa Rei Majestade, apresentado por Silvio
Santos e derrotado por Tudo É Possível no dia 9 de abril
A apresentadora Eliana Michaelichen passou 16 anos – 7 deles no SBT e o restante na Record – com a missão de divertir o público infantil todas as manhãs de segunda a sexta-feira, até que, em agosto de 2005, ela se deparou com um novo desafio: entrar na chamada guerra de audiência aos domingos à frente de uma atração voltada para a família toda. E logo na gravação do programa de estréia de Tudo É Possível, que ela comanda todo domingo à tarde na Record, veio o primeiro susto. “Não havia crianças na platéia”, recorda Eliana, admitindo uma certa ansiedade e um nervosismo ao abrir a apresentação. “A responsabilidade é muito maior do que em um programa diário. É a responsabilidade de falar com a família brasileira e estar em uma guerra aos domingos. É um tiro só, uma única tentativa (por semana)”, diz.

E, semana após semana, a pontaria de Eliana, 32 anos, provou-se certeira. Concorrendo com pesos-pesados das tardes de domingo, como Gugu e Faustão, Tudo É Possível, que vai ao ar das 14h às 15h50, colocou a Record na segunda posição no horário, superando o SBT, com 8 pontos de média. A concorrência resolveu contra-atacar com armamento pesado. Na última semana de março, Eliana soube que o próprio Silvio Santos, o homem que a transformou de cantora a apresentadora e foi seu primeiro patrão na televisão, a enfrentaria na tarde do domingo 2 de abril, com o programa Family Feud. “Senti um peso grande quando soube que Silvio ficaria no horário de Tudo É Possível”, assume Eliana. “Pensei: ‘Agora não vai dar, acho que a gente não segura a onda’.”

A apreensão e insegurança duraram até pouco depois das 16h do domingo 2. Em casa, ao lado do marido Eduardo Guedes, Eliana acabara de assistir ao programa quando o telefone tocou. Era o diretor de Tudo É Possível, Carlos Cesar Filho. “Eliana, parabéns. Continuamos na vice-liderança”, comunicou, já de posse dos números iniciais do Ibope. A vitória se repetiu nas duas semanas seguintes. Eliana, que já havia desbancado o Domingão do Faustão por duas vezes (a última delas em 5 de fevereiro, quando ficou a frente da Globo por 8 minutos), provara ser realmente uma arma poderosa na guerra pela audiência aos domingos.

“Silvio Santos foi e é um grande mestre”, afirma Eliana. “Espero que, sinceramente, ele se sinta orgulhoso da boa aluna que eu fui.” A entrada de Silvio no campo de batalha foi mais uma cartada do SBT
na tentativa de recuperar o terreno perdido para a Record. Com o fracasso da empreitada, a emissora colocou no ar, no último domingo 23, um especial com os melhores momentos do programa Ídolos,
para encarar Eliana. Após sete finais de semana de consecutivas derrotas, o SBT finalmente conseguiu retomar a segunda posição do horário – Ídolos, que vai ao ar com episódios inéditos às quartas e quintas-feiras, cravou 13 pontos de média contra 8 de Tudo É
Possível
–, chegando a ficar à frente do Domingão do Faustão em alguns momentos.

Eliana manteve sua média semanal, o que indica que ela talvez já tenha um público cativo aos domingos, como reconhece um antigo e conceituado funcionário do SBT, parceiro e amigo de Silvio Santos há duas décadas, Luiz Bento. “O produto que Eliana apresenta é bom”, diz ele, que é diretor do programa Rei Majestade, apresentado por Silvio e derrotado por Tudo É Possível no dia 9 de abril. “Nossa programação aos domingos está muito descaracterizada. Isso fez com que o público que nos acompanhava buscasse outros canais e se identificasse com a Eliana. Hoje, não temos um produto para colocar às três da tarde e combater a Eliana.