Celebridade  
AE

. O peso e a quantidade de cabelo são praticamente as únicas diferenças entre os dois momentos de Geraldo Alckmin: a falta de jeito com a bola é evidente em 1977, em um torneio infantil de Pindamonhangaba (SP), e também na quinta-feira 2, na inauguração de uma escola na capital paulista

• • •
   Leia colunas anteriores

Geraldo Alckmin

por diógenes campanha

Divulgação
“Ele foi o pior jogador de Pindamonhangaba em todos os tempos.” A afirmação é de Acir Filló, autor de uma biografia do governador de São Paulo, intitulada Geraldo Alckmin: o Menino, o Homem, o Político. A foto à direita, de 1977, é uma das muitas que ilustram o livro recém-lançado. Nela, Alckmin, aos 24 anos, dá o pontapé inicial em um torneio infantil de Pindamonhangaba, município que governou de 1977 a 1980. “Ele foi um prefeito dinâmico, que participava de todos os eventos. Sempre gostou de lidar com o público”, diz Filló. A imagem, no entanto, traz à tona outro assunto: a falta de habilidade do político com a bola. Torcedor do Santos por influência do pai, Alckmin sonhava ser jogador na infância, como a maioria dos meninos brasileiros. Mas a realidade falou mais alto. “Ele me disse que acalentou esse sonho, mas depois percebeu que não tinha jeito com o futebol”, conta o autor, que passou quatro anos fazendo a pesquisa para o livro. A obra conta que, em Pindamonhangaba, Alckmin tinha fama de “prefeito perna de pau”, por causa de um episódio ocorrido em um jogo de futsal. Na partida, ele colidiu com o presidente da Câmara de Vereadores e quebrou o joelho. Quase 20 anos depois do episódio, o “talento” continua o mesmo, como mostra a foto à esquerda, feita na quinta-feira 2. Pré-candidato à Presidência da República, Alckmin brincou de goleiro, na inauguração de uma escola técnica em São Paulo. De sapatos, levou um “frango” em uma cobrança de pênalti, para a alegria dos fotógrafos.