CAPA
 ÍNDICE
 BASTIDORES
 ENTREVISTA
 Seções
 URGENTE
 QUEM SOU EU?
 IMAGENS DA  SEMANA
 DIVERSÃO & ARTE
 MODA
 AGITO
 LUA DE MEL
 ACONTECEU
 TRIBUTO
 CELEBRIDADE
 TESTEMUNHAS DO  SÉCULO 
 Coluna
 EXCLUSIVAS

 

  DINHEIRO ISTOÉ
 
 

Ping-Pong

Valério Mássimo Manfredi
Carla Caffé desenha e desconstrói São Paulo

Lilian Amarante

Divulgação
Mássimo: 2 milhões de livros vendidos

Com o lançamento em fevereiro
de Os Confins do Mundo (Rocco, 412 págs., R$ 28), o arqueólogo italiano Valério Mássimo Manfredi finaliza sua trilogia sobre Alexandre, O Grande. Ele se consagra com mais de 2 milhões de cópias vendidas no mundo, com estilo comparável ao do francês Christian Jacq, autor de Ramsés.

Como explica o sucesso da série?
É uma história real, sobre o personagem mais fascinante da Antigüidade. E eu não faço ficção, mas uma reconstrução fiel daquele tempo.

Mas algumas passagens foram romanceadas.
Substancialmente, eu não acrescentei ficção à história. Quando o fiz,
foi por falta de registros.

O que você acha de Ramsés?
Os trabalhos não têm nada a ver. Estilo, reconstrução, linguagem,
cores e atmosferas são diferentes.

Quais são seus próximos projetos?
Estou escrevendo um roteiro
para um filme, vou filmar um documentário e logo começo
meu próximo livro, O Tirante.

LEIA
TAMBÉM
São Paulo na linha
Best-sellers
Rumo ao Pólo Sul

 

Copyright 1996/2000 Editora Três