Celebridade  
Divulgação

Atualmente, o galã diverte os telespectadores, vestido de mulher, na novela Bang Bang.

• • •
   Leia colunas anteriores

Kadu Moliterno

por diógenes campanha

Arquivo Pessoal
Em 1979, Kadu Moliterno brilhou na primeira versão de Cabocla. Fazendo par com Simone Carvalho, despertou mais interesse no público do que o casal principal, formado por Glória Pires e Fábio Jr.
Antes mesmo de protagonizar o seriado Armação Ilimitada, mania na década de 80, Kadu Moliterno já brilhava como galã de novelas da Globo. Uma das mais marcantes foi a primeira versão de Cabocla, exibida em 1979. Ele interpretava o estudante Neco, que se apaixonava por Belinha, personagem de Simone Carvalho que era filha do maior rival de seu pai. Embora não fossem os protagonistas da trama, o romance do casal se tornou o mais popular da novela. Na memória, Kadu guarda o prazer de ter contracenado com atores como Gilberto Martinho e Cláudio Corrêa e Castro, que faziam os coronéis rivais Justino e Boanerges. Lembra-se da quantidade de discursos que precisou fazer depois que seu personagem se candidatou a prefeito: “Eram bifes enormes”, diz o ator. “Mas não tenho dúvidas de que aquilo me fez crescer muito como ator.” A experiência foi tão marcante que, na época da segunda versão da novela, em 2004, Kadu encontrou Danton Mello, que fez o Neco no remake, e perguntou logo de cara: “E aí, já fez os discursos?”. Atualmente no ar em Bang Bang, o ator mantém praticamente os mesmos traços de 27 anos atrás e não hesita em apontar aquela que considera a única diferença: “Só caiu um pouco de cabelo”, diz. Um detalhe que os telespectadores quase não percebem porque, na novela das 19h, ele usa uma peruca feminina cheia de cachos, no papel da dona de pensão Denaide. O fato de aparecer disfarçado de mulher, segundo ele, não diminuiu o assédio das fãs. “Eu fui galã faz tempo, mas ainda recebo elogios, até mesmo vestido como uma donzela”, diz.