Diversão & arte - Cinema  

Leia também

Exposição Livros  Teatro
 Internet  Música  Televisão
 Os melhores de 2005 - a escolha de Gente
 Leia o perfil de Breno Silveira
Os melhores de 2005
Destaques

Alice Braga em Cidade Baixa
Sobrinha de Sonia Braga, ela revelou-se em Cidade Baixa. Corajosa, expôs-se em cenas altamente dramáticas, que envolviam também nudez e sexo. E sobressaiu, mesmo tendo como companheiros dois atores talentosos, Wagner Moura e Lázaro Ramos. Em 2006, ela estará em Só Deus Sabe.

Divulgação
Quase Dois Irmãos: roteiro que fala da gênese da violência sem estereótipos
O roteiro de Quase Dois Irmãos e Bendito Fruto
Os dois eram filmes delicados. O primeiro mostra a relação entre a favela e o asfalto, da década de 50 até hoje. Podia cair em estereótipos, mas o texto bem-costurado de Lucia Murat e Paulo Lins não deixa. O segundo é uma comédia que fala de homossexualidade e racismo sem resvalar na vulgaridade. Mérito de Sérgio Goldenberg e Rosane Lima.

As seqüências de abertura de Casa de Areia e Sal de Prata
Vultos que se movem numa paisagem desértica, quase indefinível, estão na bela cena inicial de Casa de Areia, de Andrucha Waddington. Uma Camila Pitanga safada, dizendo um monólogo em que simula sexo e orgasmo, abre Sal de Prata, de Carlos Gerbase. Foram pontos altos do cinema brasileiro neste ano.

Divulgação
João Miguel brilha em Cinema,
Aspirinas e Urubus

João Miguel em Cinema, Aspirinas e Urubus
Conhecido no teatro, o baiano brilhou como o sertanejo Ranulpho de Cinema, Aspirinas e Urubus. João Miguel tem a habilidade de se transformar, a ponto de ficar quase irreconhecível – houve quem achasse que ele não era ator, ao assistir ao filme de Marcelo Gomes e mesmo sua cena em Cidade Baixa, no qual faz um farmacêutico assaltado. Ano que vem, ele estará em Eu Me Lembro e em Rifa-me.