20 de março de 2000
Home
Outras Edições
Outras Edições
Diversão e Arte
Home
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine

Assine

Fale Conosco
Assine
Busca
 


Leia também:

Televisão
Rede TV!
Livros Animados
O Brasil É Aqui
Confira o hanking das TVs

Fique de olho


Cinema

Hurricane - O Furacão
Neve Sobre os Cedros
Música do Coração

Bilheteria

Música

Telling Stories
Meu lugar

Hits

Livros

O Papa de Hitler
Para ler ou ver?
Castelo Rá-Tim-Bum - a empresa

Best sellers

Internet

She
Cyas


Exposições

Coleção Brasiliana
Postais do Brasil


Teatro

No Jardim das Delícias
9.º Festival de Teatro de Curitiba

 


Destaque

Rede TV!
Emissora chega aos três meses de vida com boa audiência e problemas judiciais

Lilian Amarante

Divulgação
O humorista João Kléber, do Te Vi na TV, está entre as maiores audiências do canal

Basta o humorista João Kléber entrar no ar para o astral dos donos da Rede TV! ir às alturas. E por um motivo simples. O Te Vi na TV, apresentado por João às segundas-feiras, tem média de 5 pontos no Ibope, uma das maiores audiências da casa. “Esperávamos ter essa média de audiência no horário nobre só no ano 2001”, diz Marcelo Fragali, um dos sócios da emissora. “É um resultado maravilhoso”, completa.

O resultado não se restringe ao Te Vi Na TV. As audiências do telejornal da noite, de 4 pontos, e do Super Pop de Adriane Galisteu, picos de 9 pontos, também apontam um bom crescimento – há três meses, nenhum deles existia ou pontuava. “Com uma programação 100% família, já estamos em quarto lugar, brigando pelo terceiro”, diz Marcelo Fragali.

A audiência, no entanto, não resolveu os problemas da emissora, que de 3 a 8 de março teve seu sinal cortado pela Embratel por falta de pagamento – informação confirmada pela empresa e desmentida pela emissora – e enfrenta na Justiça ações dos ex-funcionários da TV Manchete. Na segunda-feira 13, representantes do Sindicato dos Radialistas rumou para Brasília para convencer os deputados da falta de interesse e condições da TV Ômega – nome oficial da empresa de Amilcare Dallevo, principal acionista da Rede TV! – de honrar compromissos legais. “Nós queremos que o governo assuma a tevê como interventor”, afirma Roberto Souza Machado, diretor do Sindicato dos Radialistas de São Paulo. “O governo enganou os funcionários passando a tevê para um grupo sem capacidade financeira”, completa.

A briga está na Justiça desde novembro de 1999, quando a TV Ômega deixou de pagar as seis últimas parcelas dos salários atrasados de 1.500 funcionários. Um pouco antes do Carnaval, a Justiça do Rio determinou multa de 20 salários mínimos por dia para cada dia de atraso no pagamento. A TV Ômega recorreu. “Só vou pagar os salários atrasados amparado numa ordem judicial que não me torne sucessor da TV Manchete, pois não sou sucessor de nenhuma tevê. Eu detenho a concessão”, diz Marcelo Fragali. O Sindicato rebate: “Eles são uns pára-quedistas. Estão falidos e não vão nos pagar”, diz Roberto Machado.

Em meio à guerra judicial, a Rede TV! anuncia três novos programas. Em três meses, coloca no ar um programa sobre fofocas e bastidores da tevê, uma revista de variedades e um novo talk show.

Pagar para ver

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home