20 de março de 2000
Home
Outras Edições
Outras Edições
Diversão e Arte
Home
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine

Assine

Fale Conosco
Assine
Busca
 


Leia também:

Televisão
Rede TV!
Livros Animados
O Brasil É Aqui
Confira o hanking das TVs

Fique de olho


Cinema

Hurricane - O Furacão
Neve Sobre os Cedros
Música do Coração

Bilheteria

Música

Telling Stories
Meu lugar

Hits

Livros

O Papa de Hitler
Para ler ou ver?
Castelo Rá-Tim-Bum - a empresa

Best sellers

Internet

She
Cyas


Exposições

Coleção Brasiliana
Postais do Brasil


Teatro

No Jardim das Delícias
9.º Festival de Teatro de Curitiba

 


Drama

Hurricane – O Furacão
Interpretação de Denzel Washington vale o filme

Marina Person

Divulgação
Denzel: impecável na pele de pugilista injustiçado

“Essa é a história de Hurricane, o homem que as autoridades resolveram culpar por algo que ele nunca fez/o colocaram numa prisão, enquanto ele poderia ter sido o campeão do mundo...” Em 1975, Bob Dylan cantou com detalhes a história de Rubin “Hurricane” Carter, o pugilista que foi injustamente acusado de assassinar três pessoas e condenado à prisão perpétua.

Agora, às vésperas do Oscar, Hurricane – O Furacão estréia no Brasil, na sexta feira 17. O filme concorre apenas à estatueta de melhor ator para Denzel Washington – que emagreceu 20 quilos e aprendeu a boxear de verdade para encarar esse papel e não oferecia uma interpretação tão generosa desde Malcolm X. Em Hurricane, ele está contido, mas impecável.

Considera-se que uma das injustiças do Oscar deste ano seja a não indicação de Hurricane – O Furacão na categoria principal, a de melhor filme. Um dos argumentos para isso é a parcialidade com que a história de Rubin Carter foi tratada pelo diretor Norman Jewison (O Feitiço da Lua). O boxeador passou metade da sua vida adulta na prisão, vítima do preconceito racial de um policial que o perseguia desde a infância. Para provar sua inocência e seu caráter inabalável foram suprimidos do filme alguns delitos cometidos por Carter na juventude, assim como distorcidos alguns fatos. Pelo filme, entende-se que Rubin Carter foi para a cadeia justamente no auge de sua carreira. Historiadores contestam essa visão, dizendo que em 1966, ano em que foi preso, ele estava bem no ranking, mas não era mais o Furacão de outrora.

Mesmo baseado em uma história verdadeira, Hurricane – O Furacão não passa de um filme à moda antiga, que mais uma vez trava a luta do bem contra o mal, e que usa de todos os truques para deixar o espectador com as emoções à flor da pele. Apesar de longo (155 minutos), o filme e, principalmente, Denzel Washington seguram a onda.

É tudo verdade?

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home