13 de março de 2000
Home
Outras Edições
Outras Edições
Diversão e Arte
Assine
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine
Busca
 


Por onde anda

A nova vida de Paula Thomaz

Em liberdade condicional, ela estuda Administração de Empresas e vai à mesma academia de ginástica da atriz Cláudia Raia, amiga de Daniella Perez

Rosângela Honor

Desde a segunda-feira 21 de fevereiro, a turma de Administração de Empresas da Faculdade Cândido Mendes, em Ipanema, zona sul do Rio, percebe com atenção a presença de uma aluna. Trata-se de Paula Nogueira de Almeida Thomaz, 26 anos, co-autora do assassinato da atriz Daniella Perez, junto com o ex-marido Guilherme de Pádua, na noite do dia 28 de dezembro de 1992. Desde o dia 5 de novembro, quando deixou o Instituto Penitenciário Romeiro Netto, ela está em liberdade condicional. Obteve o privilégio depois de ter cumprido um sexto da pena de 15 anos a que foi condenada.


Além de ter se tornado universitária, Paula matriculou-se na academia de ginástica Body Tech, também em Ipanema, freqüentada por atrizes como Cláudia Raia e Luana Piovani. Diferentemente da maioria dos alunos da Cândido Mendes, ela não prestou vestibular. No início de janeiro, Paula se inscreveu para prestar exames para o curso de Administração, beneficiada pelo Programa de Acesso Direto, aprovado há dois anos pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC). Através dele, o aluno que tenha obtido média sete nos três anos do ensino médio pode ingressar na faculdade sem prestar vestibular.

O objetivo de Paula era fazer Ciências Contábeis, mas como o curso só é ministrado à noite, ela não pôde se matricular. Por determinação judicial, ela não pode sair à noite. A coordenadora de ensino da Cândido Mendes, Ana Maris, explicou que o histórico escolar de Paula Thomaz cumpria todas as exigências. Por isso, ela foi aceita na instituição. Antes de ser aprovada, Paula foi submetida a um exame de raciocínio lógico e a uma entrevista. “Estaríamos discriminando alunos se não aceitássemos a Paula em nossa instituição”, explicou Ana Maris. “Ela já cumpriu sua pena e tem o direito de estudar”, defende.


Paula Thomaz fez a primeira e a segunda séries do ensino médio no Colégio Pinheiro Guimarães, no Rio, nos anos de 1991 e 1992. A última série foi cursada em 1994, no Centro Educacional de Niterói, quando Paula já estava presa. Ela recebeu uma autorização especial da Justiça para completar o ensino médio através do curso de longa distância. Durante aquele ano, ela recebia semanalmente a visita de uma supervisora do colégio para fazer provas. “Achamos que esta seria a melhor forma de evitar constrangimentos para ela e para os alunos”, disse Cláudia Moura, secretária-geral do Centro Educacional de Niterói.


O coordenador da Body Tech, Roberto Rodrigues, disse que Paula se matriculou na academia através de um convênio com a Cândido Mendes. Este acordo permite que o aluno cumpra a carga horária da disciplina de educação física freqüentando as aulas da academia. No caso de Paula, ela firmara contrato de três meses com a Body Tech pagando mensalidade de R$ 152. Mas, depois de ter comparecido a algumas aulas, Paula cancelou o contrato com a academia no final de fevereiro. “Ela não está mais matriculada aqui”, afirmou Roberto Rodrigues. “Mas acho que ela pode freqüentar qualquer lugar porque já pagou sua dívida com a Justiça”, defende o coordenador. Procurado por Gente, o advogado de Paula, Carlos Eduardo Machado, não quis dar entrevista.


A novelista Glória Perez, mãe de Daniella, contesta a opinião dos responsáveis pelas duas instituições. Glória considera um “acinte” e uma “provocação” o fato de Paula Thomaz ter se matriculado numa academia de ginástica freqüentada por pessoas que conviveram com sua filha. “Ela é ousada nas provocações, sempre foi”, dispara Glória. A novelista argumenta que, na noite do assassinato de Daniella, depois de ter participado da emboscada e do crime, Paula esteve na delegacia na companhia de Guilherme para confortá-la. “Ela é uma psicopata perigosa”, acusa Glória.


A atriz Daniella Perez foi assassinada com 18 estocadas de punhal, tesoura ou faca – a arma do crime nunca foi localizada. O corpo da atriz foi encontrado num matagal na Barra da Tijuca algumas horas depois de Daniella ter deixado os estúdios da Globo, na Tycoon. Ela e Guilherme de Pádua formavam o par romântico da novela De Corpo e Alma, escrita por Glória Perez. Guilherme foi condenado a 19 anos de prisão em janeiro de 1997 pelo 2.º Tribunal do Júri, em regime fechado, por homicídio. Ele está em liberdade condicional desde outubro e mora em Belo Horizonte. Paula Thomaz foi condenada em maio de 1997 a 18 anos e seis meses de reclusão. Em 1998, sua pena foi reduzida para 15 anos. Assim como o ex-marido, Paula está submetida a algumas regras da Justiça, como não sair de casa após as 23 horas e não freqüentar lugares onde haja consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

 

BoletimAssineFale ConoscoOutras ediçõesHomeBoletimAssineFale conoscoOutras ediçõesHome