6 de março de 2000
Home
Outras Edições
Outras Edições
Diversão e Arte
Home
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine
Assine
Fale Conosco
Assine
Busca
 


Leia também:

Televisão
Fique de olho no Carnaval
SBT: fôlego para entrar na guerra
Carnaval 2000
Mais esportes no cabo
Ultraman Tiga

No Ibope
Fique de olho


Cinema

O Pequeno Stuart Little
Regras da Vida
Quero Ser John Malkovich
À Espera de um Milagre

Bilheteria

Música

Balanço árabe
O Jubileu de Ouro
Jaques Morelenbaum
Standing On The Shoulder Of Giants

Hits

Livros

Trilogia Suja de Havana
Lair Ribeiro
Cartas do Coração

Best sellers

Internet

Noite ao vivo
Família Real


Exposições

Bardi 100 Anos

 


Foco

Mais esportes no cabo

Ramiro Zwetsch

Foto: Divulgação
Futebol: 60% da programação da emissora

Tem time novo brigando pela audiência esportiva na tevê a cabo brasileira – que já tem os canais ESPN Brasil e SporTV. É a rede Panamerican Sports Network (PSN), sediada em Miami mas, ironicamente, não transmitida para os Estados Unidos. “Assim que a PSN estiver bem estabelecida na América Latina, gostaríamos de estender nosso sinal para os EUA”, antecipa Dave Fogelson, porta-voz do canal. No Brasil, o PSN será distribuído pelas operadoras Sky e Net e vendido separadamente aos assinantes, a partir de 31 de março. Até lá, está disponível gratuitamente no canal 73 da Net e 78 da Sky. Para os fãs de esporte, o cardápio é farto. O futebol ocupará 60% da programação e já estão garantidas as transmissões de 60 jogos da Taça Libertadores da América – que reúne os principais times da América do Sul – e de quatro jogos do campeonato italiano por fim de semana. As eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, o campeonato sul-americano de basquete e os torneios de tênis da ATP e WTA também já têm exibições garantidas.

O PSN pertence ao grupo norte-americano Hicks, Muse, Tate and Furst (HMTF), que patrocina os times brasileiros de futebol Corinthians e Cruzeiro. “Certamente, como esses times têm torcidas grandes e entusiasmadas, os assinantes poderão assistir a um número representativo de seus jogos na PSN”, admite Fogelson. Esse envolvimento direto gera uma desconfiança imediata quanto à parcialidade dos narradores e comentaristas – o que o telespectador só poderá checar assistindo às partidas.

Para atrair mais assinantes, o PSN fechou contrato de exclusividade para exibir a Taça Libertadores da América, que a Rede Globo transmite há 20 anos. Mas, para beneficiar a Rede Bandeirantes – que tem o departamento esportivo administrado pela Traffic, empresa associada à HTMF –, é possível que a PSN faça concessões em sua exclusividade.

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home